Economia com Horário de Verão em MG foi suficiente para atender o equivalente a uma cidade de 800 mil habitantes

O Horário de Verão termina no primeiro minuto de domingo, dia 18, a partir da zero hora, quando os relógios das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste serão atrasados em uma hora. Durante os 126 dias de vigência da medida, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) registrou uma redução diária de 4% na demanda do horário de ponta ou 350 megawatts. Essa economia é suficiente para atender, durante todo o período do Horário de Verão, o pico de carga de uma cidade de 800 mil habitantes, equivalente à soma das cidades de Juiz de Fora e Sete Lagoas.

Em termos gerais, a Cemig registrou redução no consumo de energia de 0,5% em Minas Gerais, o que significa uma economia de 108.000 megawatts-hora. Essa energia seria suficiente para abastecer Belo Horizonte, com mais de 2 milhões de habitantes, durante nove dias.

Este ano, o Horário de Verão será implantado depois das eleições de outubro, portanto, ele será menor, terá menos dias de duração, isso porque foi atendido um pedido do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O governo federal alterou o período de vigência do Horário de Verão através do Decreto nº 9.242/2017. O objetivo dessa mudança é evitar atrasos na apuração e na divulgação dos resultados do segundo turno das eleições. Essa alteração acontecerá a partir do Horário de Verão 2018/2019.

Dessa forma, o início do Horário de Verão passa a ser no primeiro domingo de novembro de cada ano, em vez do terceiro domingo de outubro como foi no ano passado, mantendo o término do período no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte, exceto quando coincidir com o carnaval, como é atualmente.

Fonte: Jornal de Lavras / Foto: Imagem ilustrativa extraída do site: cidadeverde.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *