Corte na UFLA permite funcionamento até setembro

A UFLA, Universidade Federal de Lavras, teve 26% do orçamento bloqueado. São R$ 16 milhões a menos no orçamento de R$ 62 milhões.

A Diretoria Executiva da instituição divulgou que, como medida emergencial, a UFLA suspendeu ações como compras; novos empenhos; viagens nacionais e internacionais à serviço, entre outras, “até que se tenha um cenário mais claro do que representam os bloqueios e se há a possibilidade de revertê-los ou não”.

“Caso persista o atual bloqueio e não haja outros mais adiante, os recursos disponíveis no orçamento da UFLA permitem que a Universidade siga com as suas atividades previstas até setembro”.

A UFLA é a oitava melhor instituição pública de ensino do país

“Porém, deve-se ressaltar que a UFLA, por ser uma instituição de pequeno/médio porte, que já trabalha com um orçamento muito enxuto, não dispõe de margens que permitam importantes ajustes. Outra linha prioritária de ação para o reitor é a busca de recursos adicionais, como sempre fez, com negociações em Brasília que permitam a liberação de ao menos parte dos valores bloqueados, além de ações que viabilizem a liberação de recursos extra orçamentários, como as emendas de bancada já aprovadas para a UFLA, mas também bloqueadas, e Termos de Execução Descentralizada (TED), para que seja viável a manutenção dos serviços pelo maior prazo possível”.

Efeitos do bloqueio:

  • Fornecimento de materiais para aulas práticas nos mais de 250 laboratórios da Instituição;
  • Compra de materiais de consumo para serviços administrativos;
  • Manutenção dos serviços terceirizados que envolvem trabalhadores de várias categorias;
  • Custos com combustível, energia elétrica, telefonia, pagamento de bolsas a estudantes;
  • Despesas com restaurante universitário, assistência à saúde e manutenção geral dos quase 300 mil metros quadrados de área construída, acrescendo-se uma área total de 460 hectares no campus, além de duas fazendas onde são realizadas pesquisa e extensão, em suporte à pós-graduação;
  • Compra de equipamentos para laboratórios, cuja demanda é grande, já que a UFLA abriu cursos como Medicina e Engenharias, que demandam novas aquisições, e a Instituição precisa realizar, ainda, aquisições para atender à atualização de seus cursos históricos, de modo a garantir a qualidade pela qual são conhecidos.
  • Obras, ampliações de estruturas físicas, mobiliário, expansão de redes como a de eletricidade e de transmissão de dados e internet, entre outros.

Leia a nota da instituição:

“A missão da UFLA é manter e promover a excelência do ensino, da pesquisa e da extensão, formando profissionais qualificados, produzindo conhecimento científico e tecnológico inovador e disseminando a cultura do conhecimento na sociedade local, na sociedade mineira, no Brasil e no mundo. Ao longo dos últimos anos, a Universidade experimentou crescimento considerável, saindo de 640 vagas para ingresso na graduação para as mais de 2800 ofertadas hoje, colaborando para o acesso de milhares de jovens ao ensino superior e ao mercado de trabalho. A área construída da instituição mais que dobrou a partir de 2012, com mais laboratórios, salas de aula, gabinetes de professores, espaços administrativos e outras áreas importantes para o desenvolvimento da missão da Universidade. A UFLA tem também a qualidade de seus trabalhos e de sua gestão reconhecida por diferentes órgãos externos, como TCU, e em rankings nacionais e internacionais, nos quais figura em posição de destaque. Por todos os resultados que vem alcançando, pela contribuição que oferece à sociedade e por todo o potencial que possui para continuar auxiliando no desenvolvimento do País, o compromisso da direção executiva é com a busca constante para que os recursos sejam assegurados e as atividades sejam mantidas na Instituição”.

Fonte: Diretoria Executiva da UFLA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *