Circullare notifica Prefeitura de Poços de Caldas por quebra de contrato

A Auto Ônibus Circullare, empresa responsável pelo transporte coletivo em Poços de Caldas, notificou judicialmente a prefeitura do município por quebra de contrato. Entre os pontos questionados pela empresa estão os reajustes no valor das passagens, a demarcação dos pontos de ônibus e as linhas que prestam o serviço fora dos horários de pico.

De acordo com o gerente geral da Circullare, Armando Bertoni, o valor das passagens de transporte urbano está defasado.

“Ao longo dos anos, não foi respeitada a planilha de custos do transporte público de Poços de Caldas, ou seja, foram concedidos aumentados menores do que os necessários, do que apontava a planilha, bem como foram feitos em datas não previstas no contrato de concessão. Como houve quebra de cláusulas contratuais, nós somos obrigados a notificar a Prefeitura Municipal de Poços de Caldas e o prefeito atual”.

Ainda segundo Bertoni, o contrato estipulava a implantação de baias de estacionamento e muitas não teriam sido feitas. Além disso, as que foram implantadas estariam erradas.

“O grande problema nosso é quando um ônibus não tem como estacionar paralelo ao meio-fio. Não tem como embarcar e desembarcar passageiro com segurança, e principalmente se houver um cadeirante, não tem como a plataforma abaixar para embarcá-lo ou desembarcá-lo”.

Circullare alega que demarcações nos pontos de ônibus não seguem o contrato (Foto: Reprodução EPTV)
Circullare alega que demarcações nos pontos de ônibus não seguem o contrato (Foto: Reprodução EPTV)

Insatisfação dos usuários
A possibilidade do aumento nos preços, no entanto, desagrada os usuários de transporte coletivo na cidade, que já estão insatisfeitos com o serviço.

“Em relação a outra cidades, por exemplo Campinas e São Paulo, aqui já está um absurdo. Então acho que não tem condições até de aumentar, de jeito nenhum”, diz o jardineiro Maurício de Oliveira.

“Eu moro aqui no Jardim dos Estados. Para vir do Jardim dos Estados até aqui é o quê? Cinco minutos. É R$ 3,30. É um absurdo. Ainda vai aumentar mais? De primeiro, eu conseguia pegar o ônibus lá e ir até o shopping. Agora eu mal consigo, com R$ 3,30, vir até o Centro, se eu quiser ir para o shopping, tenho que pegar outro”, completa a lojista Lucélia Ventura.

Usuários se dizem insatisfeitos com serviço e valores (Foto: Reprodução EPTV)
Usuários se dizem insatisfeitos com serviço e valores (Foto: Reprodução EPTV)

O outro lado
A Prefeitura de Poços de Caldas realizou uma reunião na manhã desta terça-feira (6) para discutir os pontos levantados pela Circullare. Em nota, a administração municipal afirmou que trabalha para garantir a reposição inflacionária nos repasses à empresa, inclusive com ações que não impactam diretamente no usuário final, como a redução da alíquota do ISSQN de 5% para 2%.

Além disso, a prefeitura disse ainda que as baias de parada de ônibus foram demarcadas e identificadas; que, ao longo da concessão, houve alteração do perfil da frota; e que houve a revisão pontual de locais com demanda específica, mantendo-se a demarcação de 20m ou mais.

Ainda conforme a nota divulgada, houve melhoria na circulação, com redução de tempo de viagem, a partir da implantação da Zona Azul, e melhoria na operação do terminal central, com faixa exclusiva para entrada e saída.

Fonte: G1 Sul de Minas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *