Autoridades de Alfenas debatem na Câmara sobre segurança pública

Uma reunião na Câmara Municipal de Alfenas na manhã de quarta-feira (6), discutiu os problemas que envolvem a segurança pública na cidade. Um dos problemas abordado é a superlotação do Presídio de Alfenas, que tem gerado preocupação e é alvo de uma ação judicial proposta pelo Ministério Público (MP).

A reunião, solicitada pelo promotor de Justiça Frederico Carvalho de Araújo, reuniu o delegado regional Thiago Gomes Ribeiro, o tenente coronel Márcio Bocher, comandante do 64° Batalhão da Polícia Militar (BPM), e integrantes do Consepa ((Conselho Comunitário de Segurança Pública de Alfenas), Carmem Romana e Carlos Nascimento.

Entre os vereadores estavam presentes: Edson Lelis (Edson da Distribuidora/PR), Domingos dos Reis Monteiro (Dominguinhos/PSB), Waldemilson Gustavo Bassoto (Padre/Pros), Vagner Tarcísio (Guinho/PT), Kátia Goyatá (PDT) e o presidente da Câmara Municipal, José Carlos de Morais (Carlinho Vardemá/MDB).

O MP moveu uma ação civil pública proposta contra o Estado de Minas Gerais, para interdição do presídio, devido a superlotação que ocorre no local. De acordo com o MP, as condições atuais do presídio são péssimas, sendo preciso traçar algumas ações pelo Ministério Público em conjunto com os vereadores, alicerçados pelo Conselho de Segurança Pública de Alfenas e pelas Polícias Civil e Militar.

Em reunião, foram debatidos diversos temas, como: 1) agenda urgente com os representantes do Governo de Minas Gerais, para que possam acolher o pedido das autoridades públicas e cessar a superlotação existente; 2) grandes filas de visita que atravessam dias para que familiares possam ver seus parentes que estão encarcerados; 3) solicitação de abrigo e banheiros para estes familiares; 4) trabalho para os presos, fazendo jus a remissão de pena, que é um direito de todos os detentos; 5) obras paradas que precisam ser retomadas para diminuir a superlotação; e 6) mutirão da saúde para atender uma grande demanda existente, assim como atendimento de assistência social e jurídica, sendo uma proposta a união da Defensoria Pública e a Assistência Judiciária do Município.

A intenção é de apresentar essas demandas às autoridades competentes, para evitar maiores problemas com esta situação. Além disso, segundo a assessoria da Câmara, foi proposta uma nova reunião, com como a diretoria do Presídio e com magistrados da Justiça Criminal, para aprimorar o diálogo e as ações. O secretário municipal de Defesa Social, Leonardo Vilela, alvo de críticas dos vereadores na sessão legislativa de segunda-feira, não estava presente.

Fonte: Alfenas Hoje / Foto: Ascom/Câmara Municipal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.