Protestos tomam conta de países na América do Sul

Venezuela, Chile, Bolívia, Equador e agora Colômbia, o que esses países tem em comum, além de estar no mesmo continente? A resposta é simples, protestos contra os governos atuais.

Na Venezuela, o conflito da maior parte da população contra o governo de Nicolás Maduro é o mais longo dentre os países sulamericanos, e parece longe de ter um fim.

O Chile foi o segundo país a adotar a medida de protestos contra o governo, cenas de guerra são protagonizas dias após dias, cenário esse que fez a final da Taça Libertadores entre Flamengo x River Plate, no último sábado (23) ser alterada de local, a princípio o jogo estava marcado para o Estádio Nacional em Santiago, no entanto, com a onda de violência no país, foi decidido que o jogo seria realizado em Lima, no Peru.

Na Bolívia, dois blocos se opõem de forma ríspida e longe de um consenso após uma eleição presidencial presumivelmente manipulada, e a renúncia e exílio do ex-presidente Evo Morales.

O Equador, seguiu o molde de seus vizinhos da América do Sul, tudo isso por conta do presidente Lenín Moreno que foi forçado a voltar atrás no início de outubro, e reintroduzir subsídios para combustível após violentos protestos.

Por fim na última sexta-feira (22), foi a vez de manifestantes protestarem contra o governo colombiano, por conta de desigualdade econômica além de corrupção e violência contra população indígena e ativistas.

Foto: Jovem Pan

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *