Polícia francesa faz busca sobre suposto emprego fictício em escritório de Marine Le Pen

lícia francesa realizava nesta segunda-feira (20) uma operação de busca na sede da Frente Nacional de Marine Le Pen, em Paris, relacionada a uma investigação sobre suposto uso indevido de fundos da União Europeia para pagar assistentes parlamentares, disse à Reuters um funcionário da FN.

“Parece uma operação de mídia cujo objetivo é perturbar o curso da campanha presidencial”, disse a Frente Nacional em um comunicado.

Marine le Pen nega ter reconhecido emprego fictício de guarda-costas (Foto: Christian Alminana/AP)
Marine le Pen nega ter reconhecido emprego fictício de guarda-costas (Foto: Christian Alminana/AP)

O Parlamento Europeu tem dito que, durante a Legislatura de 2011-2012, em seu papel de líder da Frente Nacional Francesa, Marine Le Pen pagou funcionários do partido com fundos da União Europeia. As regras da UE determinam que esses fundos devem ser utilizados apenas para pagar assessores parlamentares.

Por esse motivo, a Eurocâmara exigiu que a líder ultradireitista devolva 340 mil euros aos cofres públicos. Além de considerarem que o guarda-costas nunca trabalhou no Parlamento Europeu, os investigadores acham que o cargo foi dado por Le Pen como uma forma de retribuir os trabalhos prestados por ele.

A líder da extrema-direita francesa lidera as pesquisas de intenção de voto para as eleições presidenciais, marcadas para abril e maio.

Cinegrafistas filmam sede do partido Frente Nacional que é alvo de investigação nesta segunda-feira (20) em Paris (Foto: CHRISTOPHE SIMON / AFP)
Cinegrafistas filmam sede do partido Frente Nacional que é alvo de investigação nesta segunda-feira (20) em Paris (Foto: CHRISTOPHE SIMON / AFP)

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *