Obama sai em campanha pela primeira vez desde que deixou a Casa Branca

ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama voltará a fazer campanha pela primeira vez desde que deixou a Casa Branca, e sairá, nesta quinta-feira (19), em apoio a democratas envolvidos em duas disputas estaduais que podem dar um indicativo sobre o clima dos eleitores antes de eleições legislativas do ano que vem.

Obama, que tem discursado em eventos particulares de arrecadação de fundos, mas mantido distância da política eleitoral, desde que deixou o cargo em janeiro, fará participações públicas a favor dos candidatos democratas na Virgínia e em Nova Jersey — os únicos dois Estados que realizam eleições para governador fora do calendário eleitoral regular.

Após deixar a presidência em janeiro, Obama volta a fazer campanha para Democratas (Foto: Elizabeth Shafiroff/Reuters)

As disputas de 7 de novembro serão observadas com atenção para que se descubra se os democratas podem transformar a resistência de movimentos populares ao presidente republicano Donald Trump em vitórias nas urnas, depois de fracassarem em quatro eleições especiais para o Congresso no início deste ano.

A disputa na Virgínia, em especial, é vista como um termômetro em potencial. As pesquisas de opinião mostram uma disputa apertada entre o democrata Ralph Northam, vice-governador do Estado, e o republicano Ed Gillespie, ex-presidente do conselho do Comitê Nacional Republicano, que recebeu o apoio de Trump.

Obama venceu na Virgínia em 2008 e 2012, e em 2016 a correligionária Hillary Clinton derrotou Trump ali com 5 pontos percentuais de vantagem. O vice de Obama, Joe Biden, apareceu recentemente ao lado de Northam, e o atual vice-presidente, Mike Pence, fez campanha para Gillespie na região carvoeira do sudoeste da Virgínia.

Em Nova Jersey, Obama comparecerá a um evento de campanha do democrata Phil Murphy em Newark. Pesquisas apontam que Murphy tem uma vantagem confortável diante do adversário republicano e vice-governador Kim Guadagno, que está sendo prejudicado pela impopularidade local de Trump e do governador e colega de partido Chris Christie.

Desde que deixou a Presidência, Obama tem criticado Trump e os republicanos frequentemente em declarações por escrito devido aos esforços dos rivais para desfigurar sua lei de saúde e revogar suas políticas imigratórias e ambientais. As participações em campanhas lhe darão uma plataforma para enfrentar Trump diretamente.

As disputas na Virgínia e em Nova Jersey, e uma eleição especial que decidirá uma vaga no Senado do Alabama em dezembro, são uma prévia das eleições parlamentares do ano que vem, quando todas as 435 cadeiras da Câmara dos Deputados e um terço dos 100 assentos do Senado federal serão disputados. Atualmente os republicanos controlam as duas Casas.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *