Líderes adiam cúpula extraordinária para discutir Brexit

s líderes da União Europeia desistiram de realizar hoje (18) e amanhã uma cúpula extraordinária, em Bruxelas, na Bélgica, sob a presidência do primeiro-ministro austríaco, Sebastian Kurz, um dos líderes europeus mais anti-imigração. O tema principal do encontro seria o acordo do Brexit para que o Reino Unido deixe o bloco.

Segundo agências internacionais, por falta de progressos nas negociações, os líderes adiaram os planos da reunião, que trataria especialmente do chamado divórcio Brexit.

Ontem (17) presidentes e primeiros-ministros que estavam na Bélgica observaram que ainda é necessário mais tempo para as negociações. A primeira-ministra britânica, Theresa May, fez um discurso apresentando sua proposta para as negociações.

No entanto, a própria May vive um problema interno: a exigência da Irlanda de uma cláusula de seguro “recuo”, que significaria que não haveria fronteira entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda.

Ao longo da semana, diplomatas da União Europeia se reuniram em busca de consenso, sem sucesso. O prazo para o Reino Unido deixar o bloco está acabando, termina às 23h de 29 de março de 2019.

Bar

O presidente da França, Emmanuel Macron, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, foram ontem à noite a um bar, no centro de Bruxelas, após a cúpula extraordinária do Conselho Europeu.

Os três chegaram a pé e juntos ao bar e restaurante Roy d’Espagne, um dos lugares mais emblemáticos da Grand Place – a praça mais famosa da cidade – e ficaram em uma mesa sob atentos olhares de curiosos e seguranças.Não foi a primeira vez que políticos aproveitaram horas livres na capital belga, após um encontro do Conselho, para comer e beber em estabelecimentos na rua. Em fevereiro de 2016,  Merkel e o então primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, foram a um popular quiosque de venda de batatas fritas na Praça Jourdan para matar a fome.

Britânicos

Uma pesquisa da Comissão Europeia (CE) mostrou que 51% dos cidadãos britânicos votariam hoje a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia (UE), em um hipotético novo referendo sobre o Brexit.Entre todos os países onde a pesquisa foi realizada, apenas a República Tcheca (47%) e Itália (44%) não registraram apoio majoritário à permanência na UE, mas somente 24% dos seus cidadãos votariam a favor da saída do bloco.A Itália é o único membro que considera que não se beneficiou com sua filiação ao bloco, e apenas 43% dos entrevistados avaliaram a experiência comunitária como benéfica para o país.Sobre o grau de satisfação com a democracia na UE, 60% dos indagados estão satisfeitos com os padrões democráticos do bloco, exceto Grécia (64%), Espanha (54%) e Itália (52%).Para a pesquisa foram realizadas 24.474 entrevistas com maiores de 15 anos, nos 28 países da UE, entre 8 e 26 de setembro.

Fonte: Notícias ao Minuto / Foto: POOL New / Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *