Coreia do Norte liberta americano condenado a trabalhos forçados; família diz que jovem está em coma

Um estudante americano Otto Warmbier, condenado a 15 anos de trabalhos forçados por roubar um cartaz em um hotel de Pyongyang, foi lbertado pela Coreia do Norte, informou o secretário de Estado Rex Tillerson num comunicado nesta terça-feira (13).

“Ele está sendo levado num transporte médico para os EUA. A brutalização e o terrorismo que os norte-coreanos impuseram a Otto e à família Warmbier terminaram. Graças a Deus”, disseram seus pais à rede CNN.

A família disse que Warmbier está em coma desde março de 2016, quando contraiu botulismo, mas que só soube da condição de saúde do rapaz há uma semana.

A libertação ocorre no dia em que o ex-jogador de basquete Dennis Rodman chega para uma nova visita em solo norte-coreano.

Warmbier foi condenado em 16 de março do ano passado pela Suprema Corte norte-coreana a 15 anos de trabalhos forçados depois de roubar um cartaz com slogan político em uma área reservada aos funcionários do hotel em Pyongyang onde estava alojado. Dia 16 de março do ano passado também foi a última vez que Warmbier foi visto publicamente.

Em abril passado, um missionário sexagenário com nacionalidade americana e norte-coreana, chamado Kim Dong-Chul, foi condenado a dez anos de trabalhos forçados por espionagem.

Otto Frederick Warmbier, estudante americano detido na Coreia do Norte há um mês, chora em entrevista coletiva em Pyongyang em que ele confessou ter tentado roubar um cartaz de propaganda política do hotel no qual estava hospedado (Foto: Reuters/KCNA)
Otto Frederick Warmbier, estudante americano detido na Coreia do Norte há um mês, chora em entrevista coletiva em Pyongyang em que ele confessou ter tentado roubar um cartaz de propaganda política do hotel no qual estava hospedado (Foto: Reuters/KCNA)

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *