Ataque na Tunísia deixou pelo menos 15 britânicos mortos

tunisia_1

O ataque a um hotel na cidade de Sousse, na Tunísia, na sexta-feira (26), matou ao menos 15 britânicos, segundo Tobias Ellwood, subsecretário de Estado do Ministério das Relações Exteriores, informou a agência Reuters. Segundo ele, que falou em Londres neste sábado (27), o número ainda pode subir.

Segundo Ellwood, o ataque foi o “mais significativo” a cidadãos britânicos desde os antetados no sistema de transporte de Londres, em 7 de julho de 2005.

Um total de 39 pessoas foram mortas no ataque por um pistoleiro a um hotel na estância de Sousse, de acordo com autoridades tunisinas. A maioria das vítimas são turistas, entre eles cidadãos britânicos, belgas e alemães. Ao menos 36 pessoas ficaram feridas.

O ataque
tunisia-security_amine_ben_aziza_reuters_2015-06-26t143804z_1909240648_gf10000139994_rtrmadp_3_tunisia-securityUma fonte de segurança disse que o corpo do atirador, armado com um fuzil Kalashnikov, estava no local onde a polícia o matou. Não há informações sobre se havia outro atirador.

A polícia restringiu o acesso ao hotel Imperial Marhaba.

Os hóspedes eram em sua maioria britânicos e da Europa central, indicou o estabelecimento sem precisar a nacionalidade das vítimas.

No momento do ataque “havia 565 clientes no hotel. Os clientes são majoritariamente do Reino Unido e da Europa central”, indicou o grupo em um comunicado. Segundo uma autoridade tunisiana, uma irlandesa também estaria entre os mortos.

Um vídeo amador feito por uma janela perto do local do ataque mostra pessoas fugindo enquanto soam disparos de tiros.

Sousse é um dos mais conhecidos balneários do norte da África, atraindo turistas da Europa e de países vizinhos. A Tunísia tem estado sob forte alerta de segurança desde março, quando militantes em aliança com o grupo Estado Islâmico atacaram o museu do Bardo, em Tunis, matando um grupo de 20 turistas estrangeiros em um dos piores ataques do tipo no país africano.

Depois do atentado ao museu, o setor estratégico do turismo teve resultados muito ruins em abril, com uma queda de 25,7% do número de turistas e do 26,3% das rndas em relação ao ano anterior.

O presidente francês, François Hollande, e o presidente tunisiano, Béji Caïd Essebsi, expressaram “solidariedade frente ao terrorismo”, após os atentados em ambos os países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *