Zezé Perrella será aclamado presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro

O senador da República Zezé Perrella será aclamado presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro nesta terça-feira. Candidato único da eleição agendada para o parque esportivo do Barro Preto, das 16h às 20h, o político voltará a ocupar um cargo executivo no clube depois de seis anos. Em 31 de dezembro de 2011, ele passou o bastão da presidência a Gilvan de Pinho Tavares, que comandou o clube celeste por dois mandatos consecutivos.

Fernando Torquetti chegou a lançar a candidatura para disputar a eleição, mas desistiu de participar do pleito após reuniões com conselheiros. Já Perrella conseguiu os apoios de Gilvan de Pinho Tavares e do presidente eleito Wagner Pires de Sá e tem caminho livre para suceder João Carlos Gontijo de Amorim à frente do Conselho.

Presidente do Cruzeiro de 1995 a 2002 e de 2009 a 2011, Perrella esteve à frente do clube em conquistas muito importantes, como a da Copa Libertadores de 1997 e as das Copas do Brasil de 1996 e 2000. Como vice-presidente de seu irmão, Alvimar de Oliveira Costa, ele fez parte da diretoria do grupo campeão da Tríplice Coroa, em 2003 (Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro).

Enquanto gestor do clube celeste, Zezé ganhou a fama de ser bom negociador. Em 1999, vendeu o atacante Fábio Júnior para a Roma, da Itália, por 15 milhões de dólares. Em 2001, foi a vez de acertar a transferência do meia Geovanni ao Barcelona por 18 milhões de dólares (R$ 43 milhões). Em 2005, Fred trocou o Cruzeiro pelo Lyon, da França, por 14,9 milhões de euros (R$ 44 milhões). Outras operações, entretanto, foram contestadas, casos do zagueiro Luisão (2,5 milhões de dólares por 50% ao Central, do Uruguai, que o repassou ao Benfica de Portugal) e do volante Ramires (7,5 milhões de euros ao Benfica).

Na administração de Zezé Perrella, o Cruzeiro construiu a Toca da Raposa II – centro de treinamento do elenco profissional – e a sede administrativa da Rua dos Timbiras, no Barro Preto.

Acusações

Desde que assumiu o mandato no Senado Federal, após o falecimento de Itamar Franco em julho de 2011, Perrella foi alvo de várias acusações no campo político. Em novembro de 2013, um helicóptero de propriedade de sua família foi apreendido no Espírito Santo com quase meia tonelada de cocaína. À época, o piloto da aeronave, o copiloto e mais dois ocupantes foram responsabilizados pelo porte da droga. Já em 2017, foi acusado de receber propina do empresário Joesley Batista, do grupo JBS, por intermédio do também senador Aécio Neves. Perrella negou o ocorrido.

Veja a composição da chapa “Somos Todos Cruzeiro”

Zezé Perrella – presidente
José Dalai Rocha – vice-presidente
Paulo Roberto Sifuentes Costa –  1º secretário
Waldeyr Estêvão de Paula Júnior – 2º secretário

Conselho fiscal


Geraldo Luiz Brinati
Celso Fernandes Tolentino Filho
Celso Luiz Chimbida

Suplentes

Valter Batista Teixeira
Daniel Márcio Almeida Faria
Ubirajara Pires Glória

Fonte: Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *