Ypiranga-RS bate a Caldense nos pênaltis e está na Série C em 2016

Foi um jogo daqueles. Tenso, com cada jogada sendo disputada ao máximo. Foi na base mais da raça do que da técnica, que o Ypiranga-RS garantiu o acesso para a Série C do Brasileirão em 2016 depois de bater a Caldense por 4 a 3 nos pênaltis na noite deste sábado (17), em Erechim (RS), pelo jogo de volta das quartas de final da Série D. No tempo regulamentar, as equipes ficaram no 1 a 1, mesmo placar de Poços de Caldas. Além de garantir o acesso à divisão de cima, o Ypiranga-RS também se classificou para as semifinais da Série D.

No primeiro tempo, Laerte abriu o placar para o time da casa logo aos 11 minutos de partida. Melhor postado em campo, o time gaúcho mostrava mais volume de jogo e mandava nas ações do jogo. Já para a Caldense, restava tentar os contra-ataques. Por volta de 20 minutos, o meia Éwerton Maradona foi atingido por um copo de água atirado por um torcedor do Ypiranga. O torcedor, menor de idade, foi identificado e retirado do campo.

Apesar do maior volume de jogo na partida, o Ypiranga-RS não conseguia criar melhores chances para ampliar o placar. A Caldense até assustou no final da primeira etapa. Jéfferson Feijão recebeu lindo passe de Rafamar e ficou na cara do goleiro. Mas, na hora de chutar, ele isolou por cima do gol. No minuto seguinte, quase os gaúchos ampliam com João Paulo, cabeceando por cima da baliza.

Veio o segundo tempo e a Caldense conseguiu achar o empate logo aos 5 minutos. Francismar cobrou escanteio e na disputa de bola entre Rafamar e Róbson, a bola desviou no zagueiro do Ypiranga e foi parar dentro da rede. Tudo igual. A partir daí, os dois times jogaram com o coração nas chuteiras. Aos 11, João Paulo teve a chance de fazer o segundo, mas a bola parou no pé esquerdo de Neguet. Pouco depois, foi a vez de Rafamar assustar Carlão com um chute forte de direita. Com mais raça do que técnica, as duas equipes se lançaram ao ataque para buscar o gol de desempate. O Ypiranga ainda ficaria com um homem a menos aos 39, quando Diego Miranda foi expulso em lance desnecessário. Com a partida equilibrada até o final, a decisão foi mesmo para os pênaltis.

estadiocolosso

Pênaltis
As penalidades seguiram o mesmo equilíbrio do tempo normal. Tiago Bernardi colocou a Caldense na frente na primeira batida e João Paulo empatou. Na segunda cobrança, Jéfferson Feijão mandou no travessão e Branquinho passou o Ypiranga-RS à frente. Logo depois, Maradona empatou para a Veterana e Gustavo manteve os gaúchos na vantagem.

A disputa ficaria mais tensa na quarta cobrança. Careca empatou para a Caldense e Gonçalves perdeu, deixando o placar igual em 3 a 3. Na quinta e última cobrança, porém, Diney, um dos jogadores mais festejados da Caldense, ídolo da torcida, desperdiçou e viu ela parar nas mãos de Carlão. Com a responsabilidade do acesso nas costas, Saldanha não decepcionou e decretou a classificação e o acesso inéditos do Ypiranga-RS.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *