Veja regulamento e onde assistir Copa do Mundo de Futebol Feminino

A Seleção Brasileira entra na oitava edição da Copa do Mundo feminina em busca do título inédito. A competição será disputada entre os dias 7 de junho e 7 de julho de 2019, na França. Confira detalhes:

Regulamento

A Copa do Mundo feminina da França será disputada por 24 seleções e em sete cidades-sede: Paris, Lille, Nice, Montpellier, Rennes, Le Havre, Valenciennes, Reims e Grenoble. Na primeira fase, as equipes foram divididas em seis grupos de quatro equipes. As duas melhores colocadas de cada grupo passam às oitavas de final, assim como as quatro melhores terceiras colocadas.

Todas as etapas eliminatórias serão disputadas em jogo único. Em caso de empate, terá prorrogação e, se necessário, pênaltis. A Seleção Brasileira está no Grupo C, junto de Austrália, Itália e Jamaica.

A primeira fase vai do dia 7 de junho até o dia 17. As oitavas vão do dia 22 até 25 de junho. As quartas vão do dia 27 até o dia 29. As semifinais serão no dia 2 e 3 de julho. A disputa de terceiro lugar será no dia 6. A final será no dia 7.

Horários

9/6 – Brasil x Jamaica – Grenoble
13/6 – Brasil x Austália – Montepellier
19/6 – Brasil x Itália – Valenciennes

Transmissão

A TV Globo e a Bandeirantes farão a transmissão dos jogos da Seleção Brasileira.
O SporTV fará a transmissão de todos os jogos da competição.

Histórico

O Brasil participou de todas as sete edições da Copa do Mundo Feminina. O retrospecto é de 18 vitórias, quatro empates e sete derrotas. O primeiro Mundial aconteceu em 1991, na China. A melhor colocação brasileira foi em 2007, com o vice-campeonato diante da Alemanha, na China. Em 1999, nos Estados Unidos, o Brasil ficou em terceiro ao vencer a Noruega.

Convocadas

Goleiras: Aline, Bárbara e Letícia Isidoro
Laterais: Fabiana Baiana, Letícia Santos, Ramires e Camila
Zagueiras: Erica, Kathellen, Mônica e Tayla
Meio-campistas: Andressinha, Formiga, Adriana e Taisa
Atacantes: Bia Zanerato, Cristiane, Geyse, Raquel, Debinha, Ludmila, Andressa Alvez e Marta

Como chega

Mesmo chegando com o status de campeã da Copa América 2018, o histórico recente da Seleção feminina é ruim. Na atual temporada, a equipe de Vadão perdeu as últimas nove partidas.

Por isso, chega ao Mundial longe de ser apontada como uma das favoritas. A maior craque do time é Marta. Melhor jogadora do mundo, a atacante se recupera de uma lesão leve do músculo bíceps femoral. Apesar do susto, ela deverá estar em campo na estreia.

Fonte: gauchazh.clicrbs.com.br / Foto: Reprodução / CBF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *