Varginhense Amanda Ribas espera liberação para estrear no UFC

A lutadora Amanda Ribas, está de volta ao Sul de Minas. Depois da decepção de não poder estrear no UFC, em julho, por doping, a atleta está de volta a Varginha (MG) para seguir sua rotina de treinos, com retorno previsto para os Estados Unidos em fevereiro de 2018.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, Amanda Ribas falou sobre a certeza de sua inocência no caso de doping e também sobre a decepção de ainda não poder estrear no principal circuito de MMA do mundo. A atleta também falou sobre como é ser vista como uma das principais revelações do esporte no Brasil.

Confira abaixo os principais pontos da entrevista:

Retorno ao Brasil

Estou de volta em casa com meus parceiros de treino, com a minha família, estou treinando forte porque a gente não pode ficar parada. E como ainda não saiu a minha liberação, eu vou focar no jiu-jitsu, porque na nossa vida a gente nunca pode acomodar, tem sempre que buscar competições para ter esse friozinho na barriga, para ficar sempre preparada para quando sair minha liberação eu estar pronta para a luta.

Problema com o doping

Primeiro eu nem sabia o que pensar, porque eu estava fazendo tudo direitinho. Acabou o treino, e meu “sensei” falou que recebeu o comunicado que eu caí no doping. Aí eu falei: “Para”, fiquei rindo. Ele falou que era sério, que acharam uma quantidade mínima, que isso pode ter vindo do suplemento. Eu estou conseguindo provar a minha inocência e já já vai sair a liberação pra eu poder lutar.

Baque psicológico

Lógico, fiquei muito triste, eu ia estrear na mesma data, no mesmo evento que era o UFC Fight Week, que eu estreei no MMA armador, que era 7 de julho, em Las Vegas. Eu ia lutar no UFC profissional na mesma data. No começo eu fiquei sem entender, mas eu acredito que Deus faz tudo certo, tudo no tempo dele, às vezes não era pra eu estrear naquela data, eu confio em Deus e eu sei que tudo está sendo planejado pra eu me tornar campeã, assim eu espero.

Amanda Ribas segue rotina de treinos enquanto espera liberação no UFC (Foto: Lucas Soares)
Amanda Ribas segue rotina de treinos enquanto espera liberação no UFC (Foto: Lucas Soares)

Projeção para 2018

Eu sempre coloco na minha cabeça metas de curto, médio e longo prazo. Minha meta de curto prazo é sair esse resultado da USADA (Agência Anti-doping dos Estados Unidos), conseguir provar a minha inocência e até lá competir jiu-jitsu, boxe na praia, os campeonatos que o UFC liberar eu vou competir. Quero fazer treinos em outras academias, não ficar só em um lugar, porque é bom você pegar técnicas diferentes, pessoas novas.

Ser vista como revelação no esporte

Pra mim é demais, é sensacional, porque ninguém dá nada. Uma menina, garota, de 23 anos, no UFC pra mulher, do interior de Minas, de uma cidade pequena como a minha, ninguém espera. Isso que eu quero pra mim, eu gosto de ser exemplo, isso que eu quero mostrar pra todo mundo. Que com força de vontade e determinação, a gente consegue sair de uma cidade pequena e conquistar o mundo, coisa que ninguém espera, porque acha que não tem estrutura e tudo, mas com força de vontade a gente consegue.

Segundo lutadora, previsão é de retorno aos Estados Unidos em fevereiro (Foto: Lucas Soares)
Segundo lutadora, previsão é de retorno aos Estados Unidos em fevereiro (Foto: Lucas Soares)

Popularização do MMA

Eu achei demais eles passarem isso na novela (Paolla Oliveira viveu uma lutadora de MMA na última novela da Rede Globo, “A Força do Querer”). Aumentou o nosso público aqui na academia e conseguiu mostrar de verdade, que não precisa ser bruta, ser grossa para ser lutadora. É possível ser delicada e feminina e mostrar a força que tem, com a técnica.

Fonte: Globo Esporte Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *