“Um time aguerrido, que não tem preguiça”: Técnico da Caldense promete garra

Após a folga de Ano Novo, jogadores e comissão técnica da Caldense se reapresentaram na tarde desta terça-feira (2) no Centro de Treinamentos Ninho dos Periquitos, em Poços de Caldas (MG). No comando da equipe, o técnico Zezito conversou com os jogadores e depois respondeu algumas perguntas do GloboEsporte.com, onde prometeu uma equipe com garra no Campeonato Mineiro e na temporada. Confira:

O elenco está fechado ou algum nome ainda é esperado?

– Tem uma base já para o campeonato. A gente nunca fala que você fecha. É lógico que se tudo correr bem, a gente continua com esse pessoal. Mas sempre surge algum problema, um ou outro cai de produção, às vezes não acompanha o ritmo dos demais. Isso faz parte de uma montagem. Então aí você é obrigado a trazer mais algumas peças. Mas, à princípio, nós estamos satisfeitos.

Qual a importância de ter participado da montagem do time que vai disputar o Mineiro?

– Muito importante isso. Eu gosto de fazer isso, eu fiz várias vezes aqui na Caldense. Eu gosto de trabalhar assim. É lógico que dentro de um planejamento, dentro das possibilidades do clube. Porque às vezes, se você está em um Corinthians é uma coisa, se você está em um time menor é outra coisa, se você está em um time como a Caldense é outra coisa. É lógico que se eu tivesse condição de trazer um jogador com nível de seleção, eu traria, só que às vezes você trabalha em cima da condição financeira do clube.

Mas a Caldense dá um condição financeira boa para gente, ela dá uma condição não a nível de Cruzeiro e Atlético-MG, mas dá uma condição para a gente trazer algumas peças importantes. Foi o que nós fizemos, agora esperamos que todos eles rendam aquilo que nós observamos, que nós analisamos. Porque eu sou muito criterioso na escolha de jogadores, eu procuro observar bem, trazer aqueles que eu vi jogar. Tem muita gente que me critica, principalmente empresários, [mas] eu não uso empresário para montar time. Hoje todo jogador tem empresário, mas eu quero ver o jogador jogar. E eu tive esse privilégio aqui, a diretoria me deu essa condição.

Caldense venceu dois jogos-treino e empatou outros dois até aqui na pré-temporada (Foto: Renan Muniz / Caldense)
Caldense venceu dois jogos-treino e empatou outros dois até aqui na pré-temporada (Foto: Renan Muniz / Caldense)

O que deu para concluir nos jogos-treino realizados até aqui? (A Caldense venceu dois jogos e empatou outros dois)

– O rendimento foi bom. Lógico que tem bastante coisa para consertar, a gente está conversando. Mas o importante de tudo isso aí é o empenho dos jogadores. Você vê que nós temos um grupo focado, um grupo que está querendo. E tudo isso foi escolhido também. Jogadores que realmente são homens, que realmente honram a camisa que vestem. E nesses amistosos deu para sentir isso. É lógico que você tem que ter um encaixe, você tem que arrumar a situação na ideia de jogo, no plano tático. E a gente está moldando. Mas eu estou satisfeito.

Qual o objetivo da Caldense na temporada?

– Eu enxergo a mesma coisa que os jogadores estão enxergando, porque nós sabemos quem nós estamos enfrentando. Nesses amistosos, eu e o gerente de futebol, Luisão, nós procuramos analisar os times que nós íamos jogar contra, porque você não adianta pegar um time mais fraco para você fazer placar elástico e não te dar base nenhuma. Esses times que nós enfrentamos são times de pedigree, times que nós conhecemos e que estão preparando também para campeonatos, principalmente o Campeonato Paulista. E nosso time deu a resposta positiva. Tem falhas, mas nós estamos corrigindo.

Mas o objetivo mesmo é?

– Chegar, chegar. Isso é uma coisa que eu sempre preguei e prego para os atletas. Nós não estamos montando um time para ficar no meio da tabela, nós estamos montando um time para chegar. É lógico que no futebol tudo pode acontecer, mas se você trabalha certo, se você sabe o que está fazendo, você chega. E a intenção nossa é buscar todas as etapas. Etapas de Série D, Copa do Brasil, buscar o quadrangular final, depois procurar ser campeão. A intenção nossa é essa e eu posso adiantar para você que eu tenho quase certeza que isso vai acontecer.

Que estilo de jogo o torcedor pode esperar da Caldense?

– Um time aguerrido, que não tem preguiça. E ao mesmo tempo um time que busca sempre o resultado positivo. Eu sempre digo assim, no futebol, uma equipe tem três setores. Nós temos que ter uma defensiva forte, um meio campo sólido e uma frente positiva. Porque você não vai jogar só preocupado em não tomar o gol, você tem que procurar não tomar o gol e ao mesmo tempo fazer o gol também para você ganhar o jogo. Então nós estamos trabalhando com esse balanço nos três setores, que é para você ter um time forte.

Fonte: Globo Esporte Sul de Minas / Foto: Renan Muniz / Caldense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *