Rússia 2018: Copa de 1930

Bicampeão olímpico em 1924 e 1928 e 1º anfitrião, Uruguai confirma favoritismo, fatura título batendo Argentina e fortalece mito da Celeste. Brasil é 6º

ESCOLHA DA SEDE

Antes de ser criada a Copa do Mundo, a Fifa reconhecia o país medalha de ouro de futebol nos Jogos Olímpicos como o campeão mundial. Numa conferência em Amsterdã, em 1928, o francês Jules Rimet, presidente da entidade máxima do esporte, anunciou que criaria um torneio à parte. No ano seguinte, em uma reunião em Barcelona, escolheu o Uruguai como sede. Houve dois critérios: primeiro, o fato de 1930 ser o ano do centenário da independência do país. Além disso, a Celeste vinha de dois títulos olímpicos seguidos, em 1924 e 1928.

OS ESTÁDIOS

Apenas três foram utilizados no primeiro Mundial da história: o Centenário, construído especialmente para a competição, que abrigou 10 dos 18 jogos, incluindo semifinais e decisão, o Pocitos e o Parque Central.

Tabela - estádios da Copa de 1930 (Foto: GLOBOESPORTE.COM)
Copa do Mundo 1930 - Estádio Centenário Uruguai (Foto: Agência AP )
Construído para o Mundial, Estádio Centenário, em Montevidéu, abriga 10 dos 18 jogos (Foto: Agência AP )

AS ELIMINATÓRIAS

Não houve eliminatórias na primeira Copa do Mundo. As nações afiliadas à Fifa foram convidadas para a competição. A dois meses do início, apenas os países das Américas se apresentaram. Como as viagens de transatlântico eram muito caras e os jogadores normalmente exerciam outra atividade – o futebol ainda vivia no amadorismo -, ficava difícil para os países da Europa aceitarem atravessar o Oceano para se afastar por dois meses. Quando o presidente da Fifa, Jules Rimet, anunciou que a entidade e o país-sede bancariam os custos, Bélgica, França, Romênia e Iugoslávia se juntaram a Brasil, Argentina, Paraguai, Chile, Peru, Bolívia, Estados Unidos e México, além do anfitrião, para serem os 13 países participantes. Itália, Espanha, Hungria, Alemanha, Suíça, Áustria, Inglaterra e Tchecoslováquia desistiram e foram as baixas.

O MASCOTE

Só a partir de 1966 as Copas passaram a ter mascotes.

O CAMPEÃO

Bicampeão olímpico em 1924 e 1928, o Uruguai entrou no Mundial em casa como um dos favoritos e não decepcionou. Cabeça de chave do Grupo 3, bateu o Peru na estreia por 1 a 0 e depois não tomou conhecimento da Romênia, aplicando goleada por 4 a 0. Como eram apenas quatro grupos – três com três seleções e apenas um com quatro -, só passavam os campeões de cada chave. Nas semifinais, a Celeste Olímpica aplicou 6 a 1 na Iugoslávia. Na final, 4 a 2 sobrea a Argentina.

Copa do mundo: Uruguai campeão 1930 (Foto: Getty Images)
Uruguai campeão de 1930: equipe goleia Iugoslávia e Romênia e bate Argentina na final por 4 a 2 (Foto: Getty Images)

O ARTILHEIRO

Na primeira partida da Argentina na Copa, Guillermo Stábille começou no banco. Na segunda,  contra o México, entrou e já marcou três gols, tornando-se o primeiro a fazer hat-trick em Mundiais. “El Infiltrador”, como ficou conhecido, terminou a competição com 8 gols.

O CRAQUE

Com 31 anos, Hector Scarone era o vovô da Celeste Olímpica. Reserva na estreia dos donos da casa, entrou no time apenas na segunda partida. E o que aconteceu? Goleada sobre a Romênia por 4 a 0 (um gol de Scarone). Daí até o fim, o atleta do Nacional não só ficou no time até o fim como ganhou o apelido de “El Mago”.  Foi o grande comandante.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Na Copa de 1930, o Brasil fez campanha ruim. Devido a problemas políticos, a Federação Paulista não cedeu jogadores – apenas Araken, que se desligava do seu clube, o Santos). O time foi formado às pressas, com jogadores do Rio de Janeiro. No Grupo 2, estreou com derrota para a Iugoslávia, por 2 a 1, e venceu a Bolívia por 4 a 0. Não passou para as semifinais, e terminou a competição em sexto lugar. Como destaques do time, o defensor Fausto dos Santos (Vasco) e os atacantes Preguinho (Fluminense) e Moderato (Flamengo).

DECEPÇÃO

Depois de uma goleada por 4 a 1 sobre o México na estreia, pelo Grupo 1, a França criou expectativas no Mundial. Até porque o time contava com uma muralha no gol, Alex Thepot, que chegou a ser carregado em triunfo pelos torcedores uruguaios após defesas sensacionais na derrota por 1 a 0 para a Argentina. O que ninguém esperava, no entanto, era a derrota por 1 a 0 para o Chile. Zebraça que deixou os Bleus no 10º lugar na Copa do Mundo.

PARA A HISTÓRIA

O primeiro gol da história de todas as Copas foi marcado pelo francês Lucient Laurrent, na goleada por 4 a 1 sobre o México, aos 19 minutos do primeiro tempo.

* Fontes para consulta: site oficial da Fifa, “O Livro de Ouro do Futebol”, de Celso Unzette, “Almanaque dos Mundiais”, de Max Gehringer, e Wikipédia.

A DECISÃO

No estádio Centenário, 93 mil pessoas viram os donos da casa conquistarem o título com triunfo por 4 a 2 sobre a Argentina, gols de Pablo Dorado, Pedro Cea, Santos Iriarte e Héctor Castro – Peucelle e Stábile marcaram para os argentinos.

Fonte: Globo Esporte / Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *