Rogério Ceni é apresentado oficialmente no Cruzeiro: “orgulho muito grande”

Após desembarcar no Aeroporto de Confins, na manhã de hoje, Rogério Ceni foi oficialmente apresentado como técnico do Cruzeiro. O comandante já conheceu a estrutura da Toca da Raposa e vai fazer seu primeiro treinamento ainda hoje com o grupo. Rogério deixou o Fortaleza no último domingo e assinou um contrato com a equipe celeste até dezembro de 2020. O presidente Wagner Pires de Sá introduziu a apresentação antes de Ceni tomar a palavra.

“Falar do Rogério seria como ler um livro muito grosso e com muitas páginas de vitórias, conquistas, responsabilidades. Demandaria muito tempo. Então eu me limito a agradecer o Rogério por defender as nossas cores, que você já elogiou hoje no aeroporto. Esperamos que a gente acrescente mais páginas nessa livro grandioso que você vem escrevendo. A escolha não foi só da diretoria, mas dos jogadores, comissão técnica e desses quase 10 milhões de torcedores que nos representam”, disse o presidente.

Entrevista coletiva

Gabriel Duarte

Neste segundo semestre do ano, Ceni terá como desafio tira o time da incômoda 17ª colocação do Brasileiro, além de manter vivo o sonho de conquistar a Copa do Brasil. A partir de agora, o treinador terá três semanas antes da partida contra o Internacional. A semifinal do torneio e a possibilidade de ganhar um título que não teve como jogador também motivou Ceni a embarcar no novo desafio. Confira a entrevista do treinador celeste:

Rogério Ceni sobre missões no Cruzeiro

“É um momento mágico na carreira de qualquer pessoa. Temos ainda um jogo de Copa do Brasil. Claro que tem dificuldades, favoritismo do Inter pelo resultado obtido no primeiro jogo. Não se joga fora uma oportunidade de ser campeão quando se trata do Cruzeiro. O trabalho do Mano foi brilhante, ficou mais de três anos no Cruzeiro. Vamos tentar nos reencontrar nessa competição, mas principalmente no Campeonato Brasileiro. Não é uma coisa que vai acontecer rapidamente, porque são rodadas espaçadas. Mas temos semanas cheias para trabalhar”

“É uma honra, orgulho muito grande. É um clube que enfrentei muitas vezes, me tirou títulos aqui (risos). Espero que a gente possa corresponder à expectativa de vocês e tentar fazer com que o Cruzeiro suba na tabela de classificação o mais rapidamente possível”

Ceni sobre recusa ao Atlético quatro meses atrás

“Eu nunca tive uma proposta do Atlético. O Rui Costa uma vez ligou para mim. Estávamos em meio a uma final de Cearense e semifinal de Copa do Nordeste. Eu jamais deixaria a oportunidade de ser campeão passar e sair num momento como aquele. Esse é um momento diferente. O Fortaleza, campeão cearense e da Copa do Nordeste e numa posição boa no Brasileiro, vive momento diferente”

Rogério Ceni sobre a primeira impressão do Cruzeiro e estilo de jogo

“Fantástica. Aqui (Toca da Raposa II) é muito bonito. Não conhecia a estrutura interna. Não imaginava uma estrutura tão boa para se trabalhar. A bola não entra por acaso. O número de treinamentos. Quando você repete muito o treino, você vai automatizando, fazendo o time jogar de uma maneira clara. Temos que tentar mudar aos poucos. A maneira como eu jogo, é uma questão de jeito de jogar. Se os jogadores quiserem comprar a ideia, capacidade eles têm. A ideia é de fazer um time cada vez mais rápido. É o modo que eu vejo o futebol”

Ceni sobre avaliação do Santos de Sampaoli, próximo rival do Cruzeiro

“Não é difícil compreender o por que de o Santos jogar dessa maneira. É uma das equipes mais organizadas, mais difíceis de ser vencida. Vamos tentar achar a melhor maneira de confrontar o Santos”

Ceni sobre interromper trabalho no Fortaleza

“Para mim é um pouco angustiante. Do mesmo jeito que me deixa triste a saída de lá, mas muito feliz. Conhecendo melhor a estrutura aqui dentro, é o que o treinador quer para trabalhar. Lamento, mas ao mesmo tempo fico extremamente honrado com a oportunidade. Nós estamos no Cruzeiro. Não é qualquer lugar”

Ceni sobre ter feito sete gols no Cruzeiro quando era goleiro

“Minha última Libertadores acabou aqui no Mineirão, contra o Cruzeiro em 2015. Eu peguei dois pênaltis, o Fábio também. E um que batemos foi para fora. Também sofri muito com o Cruzeiro. Mais que os gols que fiz, também sofri muito”

Ceni sobre aproveitamento da base no Cruzeiro

“No São Paulo, quando cheguei em 2017, o clube não tinha condições de investir em contratações e nós puxamos seis ou sete jogadores da base. Jogadores que juntos renderam mais de 180 milhões ao clube em vendas. Futebol não tem idade. O bom jogador sempre tem o seu espaço”

Ceni sobre possibilidade de ter defendido o Cruzeiro como jogador

“Vai fazer 20 anos isso. O goleiro do Cruzeiro era o André. Naquele momento, houve uma possibilidade de negociação, a ida do André para o São Paulo e a minha para o Cruzeiro. Acabou não se concretizando. Hoje, pretendo começar a construir uma história longínqua e vencedora aqui no Cruzeiro”

Ceni sobre papel da torcida do Cruzeiro no jogo contra o Santos

“Acho que o que pode fazer diferença nesse jogo é justamente a força da torcida. O tempo de preparação é curto. Os atletas têm o talento individual e o conjunto. Mas o torcedor, sem dúvida nenhuma, é o que pode mover a vencer uma equipe que para mim é uma das mais ajustadas do país”

Ceni sobre Mano Menezes

“O Mano é um grande treinador. Não existe a possibilidade de você não ser bom naquilo que você faz e ganhar quatro títulos em três anos, duas Copas do brasil e dois Campeonatos Mineiros. São visões diferentes, mas o objetivo final é o mesmo. Espero que eu consiga ter o mesmo sucesso que ele teve aqui”

Ceni sobre possível interferência da crise administrativa do Cruzeiro no elenco

“Pelo que vi hoje, pela maneira como os jogadores falaram, vejo um ambiente extremamente saudável. Eu sou técnico do Cruzeiro, minha função é dentro das quatro linhas. Até agora não vi nada que pudesse atrapalhar os atletas. São coisas distintas, eu acho. Estou chegando agora e não tenho uma noção exata do que se passa. Mas vamos nos preocupar com o dentro de campo”

Ceni sobre conversa com o elenco

“O mais importante, e falei para eles agora há pouco, pé que eles se sintam bem e felizes. É um paraíso poder trabalhar num centro de treinamento como esse. Eles, a maioria, têm uma história aqui dentro. Quem já foi campeão sabe o caminho. É uma questão de atitude, foco. Quem ganhou uma vez na vida não esquece o sabor. O sabor da vitória é incomparável”

Ceni sobre motivo de deixar o Fortaleza

“O Cruzeiro. É o Cruzeiro. Sou grato e adoro os caras que trabalharam comigo. É um grupo fantástico de trabalho. É um desafio, é o Cruzeiro

Ceni sobre Fred

“Acho ele um 9, um jogador de área, apesar de fazer bem proteção. Tem boa finalização. Vamos trabalhá-lo como um garoto de 20 anos, tentar tirar o melhor dele. A qualidade nos sabemos que ele tem. Preciso da entrega cada vez mais física do jogo. Vou dar, principalmente nesse começo de trabalho, a prioridade para quem tenha mais condições físicas. É um 9 clássico, de área. Espero que ele possa nos ajudar bastante”

Ceni sobre volantes do Cruzeiro e buscas no mercado

“Sobre volantes eu estou atento aos cinco jogadores que o Cruzeiro tem. Sobre mercado, é melhor o Marcelo (Djian)”

Ceni sobre motivação no Cruzeiro

“Estou os conhecendo hoje e vou a primeira vez para o campo. Quero levar a maioria dos jogadores, mesmo aqueles que jogaram no domingo, com exceção dos que estão com cansaço excessivo. Trago transpiração, motivação. Estou começando a carreira de treinador. Ter a oportunidade de trabalhar num clube deste tamanho é sinônimo de energia, de fazer com que as coisas aconteçam, de tentar ajudar os jogadores a desempenharem melhor o futebol. Os protagonistas são eles”

Ceni sobre caminhada até enfrentar o Inter na Copa do Brasil

“Espero que a gente consiga crescer dentro do campo para quando chegar nesse jogo contra o Inter ser um adversário que possa buscar esse gol para no mínimo levar às penalidades máximas. O adversário pode ser o favorito, mas o Cruzeiro sempre tem chances de vencer”

Ceni sobre intensidade do time

“Não existe idade para o futebol. Não se proíbe jogar dois, três jogadores de 30 anos num time. Só preciso da entrega. O Cruzeiro está num processo de muitos jogadores acima dos 30 ou abaixo dos 20. Temos poucos na faixa intermediária. Mas nada que não possa ser treinado e, ao longo do tempo, recuperar a intensidade”

Ceni sobre gols de falta

“Repetição. Cobrança de falta é repetição. Eu, antes de fazer meu primeiro gol de falta, bati 15 mil vezes. Depois que você repete 15 mil vezes, alguma coisa boa tem que sair. É repetição, pré-disposição do atleta em quando tiver a oportunidade, estar apto a executá-la”

Ceni sobre possibilidade de conquistar Copa do Brasil

“É um presente poder estar aqui. O destino a gente só vai poder confirmar mais à frente. É um destino duro de conseguir, uma meta como essa. Com todo o favoritismo (do Inter), não acredito que os jogadores não tenham na cabeça de que é possível reverter. Vamos tentar agregar o máximo de informações aos jogadores nessas três semanas (antes de encarar o Inter)”

Ceni sobre metas

“O Cruzeiro, mesmo vocês falando de uma eventual crise financeira ou coisa assim, é um time que tem peças mais rodadas, que tem jovens talentos agregado a jogadores mais experientes. Em 2019, o primeiro objetivo é tentar tirar o Cruzeiro dessa posição incômoda (no Brasileiro). E vamos tentar reverter de toda maneira na Copa do Brasil. É tentar preparar um 2020 melhor”

 

Fonte: UOL / Foto: Gabriel Duarte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *