Reviravolta no Mineiro – Villa Nova é rebaixado por escalação irregular e Guarani volta à elite

Clube ainda pode recorrer ao Pleno do TJD-MG para reverter decisão

O Villa Nova acabou levando a pior após o julgamento realizado pelo Tribunal de Justiça Desportiva neste terça-feira (9), em Belo Horizonte e movimentou a tabela do Mineiro. O Clube de Nova Lima foi punido com a perda de 16 pontos e mais R$ 8 mil de multa pela escalação irregular do atacante Pinguim, em quatro jogos pelo Campeonato Mineiro, o que fez a equipe ser rebaixada na competição.

Quem saiu ‘sorrindo’ foi o Guarani. A equipe de Divinópolis havia sido rebaixada durante a competição e com a perda dos pontos e o rebaixamento do Villa, o clube volta à elite estadual. O Villa Nova ainda pode recorrer ao Pleno do TJD para tentar inverter a decisão desfavorável.

O julgamento

O julgamento desta terça foi em Primeira Instância, na Quarta Comissão Disciplinar. Por quatro votos a um, os auditores da sessão do TJD decidiram pela punição ao clube de Nova Lima, que terminou o Mineiro com 5 pontos negativos, na lanterna, deixando o Tupi, também rebaixado, em penúltimo, com quatro.

O voto contrário à punição ao Villa Nova foi o presidente da Quarta Comissão, Otávio de Abreu Portes Júnior. Já o vice-presidente Tiago Lenoir Moreira e os auditores Claúdio Cardoso da Silva Lemos, Leonardo Cesar Oliveira Palhares e Nathália Alvares Campos Fontão votaram pela perda dos 16 pontos.

Os pontos perdidos

De acordo com a decisão do TJD, o Villa perdeu 12 pontos por causa dos quatro jogos em que Pinguim atuou no Mineiro, de forma considerada irregular. Os duelos foram contra América, Guarani, Cruzeiro e Patrocinense. O Leão do Bonfim ainda perdeu quatro pontos conquistados em campo (um empate com o Guarani e uma vitória sobre o Patrocinense).

O clube de Nova Lima foi denunciado com base no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê “perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).”

A irregularidade de Pinguim

Divulgação/Villa Nova

Pinguim foi expulso na 10ª rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro Sub-20 de 2018, em partida contra o América de Teófilo Otoni. Na ocasião, a árbitra Josiene Dinelle Pereira (CBF) mostrou cartão vermelho ao jogador por reclamações no banco de reservas.

Na súmula da partida, Josiene explicou que “expulsei, após ser informada pelo assistente de nº1 – Sr. Ricardo Vieira Rodrigues, que o atleta manifestou de forma acintosa as marcações da arbitragem. O atleta proferiu os seguintes dizeres: ‘Essa moça é muito ruim! Tem que apitar na favela, porque aqui não dá nada pra ela. Passou a mão sem dó. Se quiser pode me expulsar. O campeonato já acabou mesmo! E ano que vem estou no profissional do Villa Nova no Mineiro. Um joguinho só de punição, não dá nada para nós!’. Cumpro informar que não foi possível apresentar o cartão, pois o atleta já tinha se dirigido ao vestiário, mas comuniquei o fato a um integrante da comissão técnica, Sr. Alan France Leoncio, preparador de goleiros”, relatou.

Ainda em 2018, a expulsão de Pinguim foi julgada pela Quarta Comissão Disciplinar do TJD. Dessa forma, o atacante foi condenado a cumprir quatro jogos de suspensão de acordo com o artigo 258 do CBJD, que prevê: “suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código”.

Das quatro partidas de suspensão impostas pelo TJD no ano passado, o atacante cumpriu duas: na derrota do Villa Nova por 3 a 0 para o América, pela 11ª rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro Sub-20 de 2018, e na derrota por 5 a 1 para o Tupynambás, já pela primeira rodada do Campeonato Mineiro profissional de 2019.

Entretanto, na derrota do clube novalimense por 3 a 0 para o América, pela segunda rodada do Mineiro, Pinguim entrou no lugar do volante Eurico, aos 12 minutos do segundo tempo, e descumpriu a ordem de suspensão dada pelo TJD. Na terceira rodada, contra o Guarani, o atacante voltou a atuar, quando entrou aos 18 da etapa final, no lugar de Cassiano. Ele ficou no banco de reservas diante do Tupi, pela terceira rodada, e voltou a ser acionado em campo nas partidas contra o Cruzeiro e o Patrocinense, pela rodadas 5 e 6.

O que diz o Guarani

Em nota oficial divulgada nesta quarta-feira (10), pela manhã, a equipe de Divinópolis se pronunciou sobre o caso, explicando que aguarda o desenrolar do julgamento final para então comemorar a decisão de permanência do clube na elite estadual. Confira:

“O Guarani Esporte Clube vem por meio desta, se pronunciar sobre o julgamento ocorrido na noite de ontem (09) em que a 4ª Comissão Disciplinar do TJD/FMF decidiu, por maioria de votos, condenar o Villa Nova AC à pena de perda de pontos e multa. O Guarani informa que recebeu a decisão com serenidade, até porque é condizente com a Notícia de Infração apresentada pelo próprio clube.

O clube informa ainda que se reserva ao direito de não manifestar sobre o mérito do processo, o que será sempre feito a tempo e modo nos autos, e que sua Diretoria e advogados continuarão atentos a todos os desdobramentos do caso, sem medir esforços para defender os interesses do clube.

Atenciosamente

Diretoria Executiva 
Guarani Esporte Clube”

Divulgação/Guarani

Redação Csul – Iago Almeida / Fonte: Super Esportes e Assessoria de Comunicação Guarani / Foto: Divulgação/Villa Nova-MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *