Primeira Liga tem novo presidente: Marcus Salum; Para reerguer a competição em 2018 ele aposta em diálogo com dirigentes

A Primeira Liga tem um novo presidente. Marcus Salum, que em janeiro assumirá também o comando do América-MG, vai exercer a função que era de Gilvan de Pinho Tavares, presidente que está deixando o Cruzeiro, no direção da Liga. Ele aposta no diálogo com os dirigentes dos clubes participantes para reerguer a competição em 2018.

 Criada em 2016, a Primeira Liga viveu momentos complicados em 2017. Em meio ao calendário apertado, por causa de jogos dos estaduais, da Copa do Brasil, da Libertadores e do Campeonato Brasileiro, os técnicos passaram a mandar equipes alternativas para os duelos da competição. Renato Gaúcho, treinador do Grêmio, por exemplo, escalou um time praticamente formado por atletas Sub-20 para enfrentar o Cruzeiro nas quartas de final do torneio. O clube celeste, por sua vez, utilizou jogadores reservas na semifinal contra o Londrina.

Para 2018, o cenário é ainda mais complicado. Isso porque o calendário do futebol brasileiro terá ainda menos datas disponíveis, em função da Copa do Mundo, que será realizada entre os dias 16 de junho e 15 de julho – período em que não haverá jogos no país. No entanto, se depender de Marcus Salum, a terceira edição da Primeira Liga será realizada no ano que vem.

– Na minha visão, teremos a Primeira Liga em 2018. Mas precisamos conversar com todos os clubes, com a televisão, com as federações e com a CBF. Precisamos, antes de mais nada, achar um modo de sobreviver em conjunto. Não adianta a gente querer que tenha a competição sem fechar com a TV ou tendo a CBF boicotando em relação às datas. Não tem como. Quero reacender a Liga outra vez, deixar os clubes interessados novamente – explicou o dirigente em entrevista ao Globoesporte.com.

Em 2017, o Londrina conquistou a Primeira Liga ao superar o Atlético-MG na decisão, no Estádio do Café (Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina Esporte Clube)
Em 2017, o Londrina conquistou a Primeira Liga ao superar o Atlético-MG na decisão, no Estádio do Café (Foto: Gustavo Oliveira/ Londrina Esporte Clube)

Para que haja a Primeira Liga em 2018, Salum pretende definir, o quanto antes, as datas da competição.

– Primeiramente, quero conversar individualmente com cada um dos dirigentes para que a gente possa definir o calendário. O primeiro passo é esse.

Visando tornar a competição novamente interessante para os clubes, Salum pretende dialogar com os dirigentes para tomar as decisões. Além de América-MG, Atlético-MG, Cruzeiro, Fluminense, Flamengo, Grêmio, Internacional, Brasil de Pelotas, Londrina, Paraná, Avaí, Chapecoense, Criciúma, Figueirense, Joinville e Ceará participam da Liga.

– Eu já tenho experiência em relação a essa questão de presidência. Já presidi empresa de construção pesada e o próprio América-MG em algumas outras oportunidades. Com essa experiência, eu posso afirmar que não tem como presidir uma instituição sem dividir o comando com os seus pares. Vou ter que sentar com eles e explicar o que queremos fazer. É assim que as coisas funcionam. Já conversei com oito ou nove dirigentes, no início de janeiro vou entrar em contato com os outros.

Após os problemas de calendário enfrentados pela Liga em 2017, os dirigentes cogitaram realizar a competição na pré-temporada, como ocorre com a Florida Cup, por exemplo. Para 2018 a ideia está descartada, pelo fato de a Copa do Mundo fazer com que os estaduais comecem no início da segunda quinzena de janeiro.

– Nenhuma ideia é melhor do que a minha. Ideia é para se discutir. Talvez o modelo de copa seja mais inteligente. Nesse caso, você faz um mata-mata, uma competição mais rápida. É uma ideia inicial, mas ainda vou desenvolver, quero conversar com todos os atores envolvidos na competição.

Apesar dos problemas enfrentados pela Liga em 2017, Marcus Salum valoriza o que foi feito pelas gestões anteriores, de Alexandre Kalil e Gilvan de Pinho Tavares.

– Muita coisa boa foi feita até aqui. Não podemos jogar no lixo tudo o que a Primeira Liga fez até hoje. Vamos procurar ouvir todo mundo para saber quais são os problemas e achar, de maneira democrática, maneiras de solucioná-los.

No comando da Primeira Liga, Marcus Salum terá Leonardo Oliveira, presidente do Paraná Clube, como vice.

Fonte: Globo Esporte / Foto: Divulgação/AFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *