Oswaldo discute com repórter após partida; Hoje, Galo proíbe entrada do jornalista no CT

O técnico Oswaldo de Oliveira bateu boca com o repórter da rádio Inconfidência, Léo Gomide, após o empate em 1 a 1, contra o Atlético-AC, resultado que classificou o Atlético de forma dramática para a segunda fase da Copa do Brasil.

O treinador se irritou com a pergunta do jornalista. “Você sempre faz essas perguntinhas tendenciosas. Todas as vezes você repete a mesma coisa e eu, calmamente, tenho administrado. Estamos classificados, rapaz”, disse o treinador num primeiro momento. Daí por diante, a entrevista virou um bate boca, fazendo com que Oswaldo partisse para cima de Gomide.

Após a Discussão

O técnico Oswaldo de Oliveira se manifestou, nesta quinta-feira, sobre a briga com o repórter Léo Gomide, da rádio Inconfidência, após o empate por 1 a 1 entre Atlético e Atlético-AC. O comandante reconheceu o erro e pediu desculpas em comunicado informado pela sua assessoria de comunicação.

No comunicado, o treinador atleticano reafirma que ouviu xingamentos do repórter e tentou justificar o motivo da sua reação. “ouvi o maior desaforo de toda a minha carreira”.

O treinador justificou a briga pela pergunta feita pelo jornalista e reconheceu que “As palavras que ouvi me tiraram do sério, acabei me exaltando e, por conseguinte, tive uma reação irracional”.

Palavras do Treinador:

“Venho a público hoje para reconhecer meu erro e me desculpar pelo episódio infeliz acontecido na noite dessa quarta-feira. Estou no futebol há mais de quatro décadas e agradeço ainda correr em minha veia o sangue competitivo de um profissional, com muita gana de fazer com que as coisas deem certo sempre. É isso que me motiva a seguir no futebol, me empenhando ao máximo diariamente em busca das vitórias e, claro, títulos.

Ontem, após nossa classificação na Copa do Brasil, ouvi o maior desaforo de toda a minha carreira do jornalista Léo Gomide (impronunciável aqui publicamente). Ouso afirmar que, PROPORCIONALMENTE, nem da arquibancada havia recebido tamanho insulto, mesmo levando em conta toda a passionalidade do torcedor pelo seu clube do coração. Tenho testemunhas de tudo o que saiu da boca desse rapaz, não à toa o próprio Atlético proibiu sua entrada na Cidade do Galo, e podem ter certeza, não foi a meu pedido.

Como ser humano, especialmente sob estresse de um jogo complicado, reagi imediatamente para me defender. As palavras que ouvi me tiraram do sério, acabei me exaltando e, por conseguinte, tive uma reação irracional – a exemplo do repórter em questão – não condizente com a do profissional que sou e sempre fui.

Peço desculpas pelo incidente de ontem ao Atlético, clube que represento, à nossa imensa e fiel Massa Atleticana, e a todos os demais profissionais da imprensa, os quais tanto respeito, tenho carinho e admiração.
Oswaldo de Oliveira”

Proibição ao Jornalista

No desembarque da delegação do Atlético, na manhã desta quinta-feira, no aeroporto de Confins, o diretor de futebol Alexandre Gallo informou que o repórter Léo Gomide, da “Rádio Inconfidência”, que discutiu com o técnico Oswaldo de Oliveira após a partida contra o Atlético-AC, pela Copa do Brasil, está impedido de entrar na Cidade do Galo, pelo menos, num primeiro momento. A decisão foi tomada depois que outras pessoas que acompanharam o episódio conversaram com a diretoria.

“São duas coisas bem distintas. A atuação foi abaixo do esperado. Isso é uma situação. A outra situação é o que aconteceu. Conversamos bastante durante esta noite toda, fizemos uma reunião com o presidente e, mediante o que aconteceu, e tem que entender também o nosso lado. O Oswaldo é um cara que está há 40 anos no futebol, não tem esse costume, nunca aconteceu isso com ele”, comentou Gallo.

“Estamos sempre prontos para responder, as críticas. Mas houve uma reação, de um fato importante, dito por um repórter amigo de vocês entendendo que o Oswaldo foi xingado, tratado de uma maneira desrespeitosa, e isso atinge diretamente o Atlético, ele é o nosso comandante. Diante disso, o nosso presidente, neste primeiro momento, o deixe fora da Cidade do Galo até segunda ordem, para que a gente evite qualquer tipo de problema”, completou o diretor de futebol.

Procurado pela reportagem do Super FC, o repórter Léo Gomide informou que não foi informado ainda pelo Atlético da sua proibição de entrar ao CT e que neste primeiro momento não vai se manifestar.

O desembarque dos jogadores nesta quinta-feira se deu com tranquilidade. Não havia torcedores no local, apenas passageiros em viagem. Alguns jogadores pararam e concederam entrevista aos jornalistas.

Rádio Inconfidência se manifesta

A rádio Inconfidência, local onde trabalha o repórter Léo Gomide, que depois de se desentender com o técnico do Atlético, Oswaldo Oliveira, foi proibido de entrar no CT do clube, se manifestou no início da tarde desta quinta-feira sobre o assunto.

O chefe do departamento de esportes da rádio Inconfidência, José Augusto Toscano, afirmou que a emissora “repudia e não concorda com nenhuma atitude de cerceamento a qualquer profissional, seja ele da Inconfidência ou de qualquer veículo”.

Toscano destacou ainda o repúdio da rádio à postura oficial do Atlético. Em nome da rádio, ele reiterou que a emissora tem confiança no trabalho do repórter Léo Gomide e considerou a proibição por hora de sua entrada no CT como equivocada.

“Posso afirmar, sem nenhum receio, que o Léo é um cidadão de bem e educado. No exercício da profissão dele, de jornalismo, onde, acima de tudo, sua função é perguntar, nunca faltou com respeito a nenhum ser humano”, afirmou o chefe do departamento de esportes da rádio Inconfidência.

Fonte: O Tempo / Foto: Bruno Cantini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *