Libertadores – Pelo terceiro ano seguido, São Paulo cai para argentino e protagoniza novo vexame

A eliminação para o Talleres, da Argentina, na noite desta quarta-feira (13), no Morumbi, reforça a péssima fase do São Paulo em competições internacionais nos últimos três anos.

O último ano em que teve boa campanha em uma competição sul-americana foi em 2016. Sob o comando de Edgardo Bauza, o São Paulo chegou até a semifinal da Libertadores e caiu para o colombiano Atlético Nacional.

Depois, começaram os vexames. Em 2017, com Rogério Ceni de técnico, o Tricolor foi eliminado pelo também argentino Defensa y Justicia, logo na primeira fase da Copa Sul-Americana.

No ano passado, mais argentinos pelo caminho. Depois de eliminar o Rosário Central na primeira fase da Copa Sul-Americana, o Tricolor caiu para o modesto Colón, de Santa Fe, a segunda fase. Diego Aguirre era o treinador.

E agora foi a vez de o Talleres, de Córdoba, impor ao São Paulo mais uma eliminação precoce. Dessa vez na segunda fase da Libertadores da América.

Eliminado de maneira rápida na atual Libertadores, o São Paulo perdeu também o direito de disputar a Copa Sul-Americana. Portanto, não disputa mais competições internacionais este ano.

Restam ao Tricolor o Paulistão, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro.

Protestos

A torcida do São Paulo protestou em frente ao portão principal do estádio do Morumbi, após o empate e a eliminação nesta quarta. Os torcedores xingaram o presidente Leco, o diretor de futebol Raí, o técnico André Jardine e alguns jogadores, entre eles Reinaldo e Diego Souza. “Raí, pede pra sair”, gritaram.

Policiais, com armas de borracha, e seguranças do Morumbi organizaram fileiras no estacionamento no lado de dentro do Morumbi.

“Boi, boi, boi, boi do Piauí. Agora eu quero ver é sair do Morumbi”, cantaram os torcedores.

Fonte: Globo Esporte / Foto: Marcos Ribolli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *