Jô cobra do Atlético na Justiça indenização por Seleção e débitos trabalhistas

Um dos ídolos da torcida nos últimos anos, artilheiro da Copa Libertadores de 2013 (sete gols), conquistada pelo clube, o atacante Jô acionou o Atlético na Justiça do Trabalho. Ele cobra o repasse da indenização pelo tempo em que defendeu a Seleção Brasileira como atleta alvinegro, na Copa das Confederações de 2013 e na Copa do Mundo de 2014, além de outros débitos referentes a direito de arena e falta de pagamento de verbas rescisórias no prazo legal.
O processo corre na 20ª Vara do Trabalho de BH, com a intimação ocorrendo nesta segunda-feira. De acordo com os valores cobrados pelo atacante, a dívida é de ao menos R$ 872 mil. Convocado para defender a Seleção na conquista da Copa das Confederações de 2013, Jô fez parte do grupo que terminou a Copa do Mundo de 2014 em quarto lugar.
O atacante cobra do Atlético o repasse da quantia de R$ 337.456 que o clube teria recebido da CBF pela cessão do jogador durante a Copa do Mundo, entre os dias 26/05/2014 e 12/07/2014. Com Jô no grupo, o Brasil, comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari, fechou a participação em quarto lugar. O jogador ficou no banco de reservas.
Jô viveu bons momentos no Atlético, entre 2012 e 2015, e cobra débitos trabalhistas do clube na Justiça

Na ação, Jô solicita ao Atlético que apresente o recibo repassado pela CBF ao clube com o valor pela cessão do atacante para a disputa da Copa das Confederações, entre os dias 7 e 30 de junho de 2013. Se o documento não for entregue, a defesa do jogador pedirá a mesma quantia de R$ 337.456 requerida pela participação na Copa do Mundo, a título de indenização por encargos previstos no contrato de trabalho. Nesse caso, o valor total do processo ultrapassaria 1 milhão.

O atacante ainda pede o pagamento do direito de arena, que é o valor a que os atletas têm direito pela exibição de imagens em eventos esportivos. Jô defendeu o clube entre 2012 e 2015, e solicita o ressarcimento correto dos 5% da quantia, descontando o que foi repassado diretamente ao sindicato dos atletas. O total cobrado chega a R$ 425.500,43, com incidência em débitos referentes ao 13º salário, férias e quitação do FGTS, em cada uma das temporadas em que ele esteve no Galo.
Uma audiência de conciliação será marcada na Justiça do Trabalho, ainda sem data determinada. O Atlético, por meio da assessoria de imprensa, divulgou na noite desta segunda-feira que aguarda a notificação do clube sobre o processo, para o departamento jurídico se manifestar sobre a petição do jogador.

Fonte: Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *