Futuro dos técnicos brasileiros – Renato renova com o Grêmio e Marcelo Oliveira é demitido do Fluminense; Jair Ventura próximo de saída do Corinthians

A dança dos técnicos dura até o final da temporada. Após um ano de muitas demissões e trocas nos comandos, algumas equipes brasileiras sofrem com falta de planejamento e equívoco quanto à demissões.

Renato Gaúcho

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A grande novela chegou ao final. Após especulações, conversas e apreensão, Renato Gaúcho deu um final feliz aos gremistas, e vai continuar no time gaúcho até o final de 2019. Tristeza para os flamenguistas que tinham esperança de ver o técnico treinando a equipe na temporada do próximo ano.

O acordo com o Grêmio foi selado em uma reunião entre o presidente Romildo Bolzan e o treinador à tarde, no CT Luiz Carvalho. Mais cedo, o representante do treinador, Gerson Oldenburg, o Gauchinho, se reuniu com o CEO Carlos Amodeo.

Ídolo autor dos dois gols do Mundial, em 1983, Renato retornou ao clube para sua terceira passagem como técnico em setembro de 2016. De lá para cá, o treinador conquistou com a equipe, a Copa do Brasil de 2016, colocando fim ao jejum de 15 anos sem títulos nacionais pelo clube; o tri da Libertadores, em 2017; e a Recopa Sul-Americana e o Campeonato Gaúcho, em 2018.

“Chegamos a um acordo de renovação por mais um ano. (Renato) Vai dar continuidade ao trabalho, era um objetivo, um desejo recíproco. E já damos início ao planejamento do ano que vem. Damos uma resposta à torcida, um projeto de continuidade, de um grupo vencedor. Vamos com a mesma direção e mesma comissão técnica com a mesma perspectiva de conquistar mais títulos”, disse o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan.

Marcelo Oliveira

Foto: Mailson Santana

Após sequência de resultados ruins e longo jejum de gols, o Fluminense anunciou a demissão do treinador Marcelo Oliveira. O técnico chegou ao clube para tentar um caminho promissor, e até começou bem, levou a equipe até a semifinal da Sul-Americana, mas caiu para o Atlético-PR Obteve 12 vitórias, 8 empates e 13 derrotas, um aproveitamento de 44,4%., com duas derrotas por 2×0.

O Tricolor está há oito jogos sem vencer e sequer marcar gols em 2018 – maior jejum da história do clube. E a equipe luta contra o rebaixamento, onde tem jogo direto com o América na última rodada, disputada neste final de semana.

Em 33 partidas a frente do tricolor carioca, foram 12 vitórias, 8 empates e 13 derrotas, um aproveitamento de 44,4%.

“O Fluminense Football Club comunica que Marcelo Oliveira não é mais técnico do clube. A decisão foi tomada pela diretoria após a sequência de resultados negativos que a equipe vinha tendo. Na partida contra o América-MG, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, o Tricolor será comandado pelo auxiliar técnico permanente do clube, Fábio Moreno. Este confronto é decisivo para o Flu permanecer na elite do futebol brasileiro” – divulgou o clube.

Abel Braga

Foto: André Durão

Duas equipes estão na disputa por Abel Braga para a próxima temporada. Santos e Flamengo (após renovação de Renato Gaúcho com o Grêmio) lutam para ter o treinador a frente da equipe em 2019. Pessoas próximas afirmam que o treinador está entusiasmado com a possibilidade de comandar o Rubro-Negro e permanecer no Rio de Janeiro. A permanência de Dorival Júnior está praticamente descartada.

“(Abel Braga) É um técnico top e que gosta do Santos. Tive duas negociações. Primeiro ele não quis abandonar o Fluminense, atitude de gente grande. Falei para ele na ocasião que (Santos) é uma “mini Rio de Janeiro”. Ele falou que seria um prazer. Eu gostaria para ontem”,  afirmou Peres, que agora tentará vencer a concorrência pesada do Flamengo para ter o técnico de seus sonhos.

Cuca

Foto: Reprodução/Internet

O treinador, que está até então no Santos, dará uma pausa na carreira em 2019, para tratar de um problema de saúde. O treinador precisará ser submetido a cirurgia para uma correção no coração. Por causa disso, ele ainda não sabe quando poderá voltar ao futebol.

Cuca pegou o Santos lutando contra o rebaixamento, o colocou na briga por uma vaga na Libertadores, mas, após uma série de resultados ruins, viu a chance de ir à competição continental cair por terra.

“Quando fiquei sabendo do meu problema, fiquei muito triste. Não é fácil. Por mais que seja forte, dá uma tristeza grande. Gostaria de permanecer, ou não, mas que fosse por vontade própria, não pela necessidade que eu tenho hoje de fazer essa correção. Vou fazer com muita fé de que dará tudo certo, espero que esse ano ainda, para poder voltar já em 2019 a trabalhar”, declarou nesta quinta-feira.

 Felipão

Foto: Alexandre Schneider/Getty Images

Após conquistar o título do Brasileirão pelo Palmeiras, o décimo do clube, Felipão deve continuar a frente da equipe paulista na próxima temporada. Mas, a seleção Colombiana fez uma proposta ao treinador, para os próximos cinco anos estar a frente da Colômbia.

Segundo informações próximas, Felipão está pensando na proposta, mas se manifestará apenas após o último compromisso do Palmeiras no Brasileirão, contra o Vitória, no Allianz Parque. Ainda de acordo com fontes próximas ao assunto, a tendência é de que ele fique no Verdão.

O treinador teria que deixar o Palmeiras logo depois do Brasileirão para assumir o comando da Colômbia, que está sem técnico desde o fim da Copa do Mundo de 2018, quando José Pékerman deixou o cargo que estava há seis anos.

Jair Ventura

Foto: Reprodução Estadão

Com futuro indefinido no Corinthians, que costura a saída do técnico nos bastidores, Jair Ventura vai fazer um curso na CBF, na próxima semana, para obter certificação de licença PRO.

Enquanto isso, no clube, uma traição ao treinador está sendo montada. Após retirar Jair do Botafogo para substituir Osmar Loss, a diretoria do clube comanda a ação de retirada de Jair para 2019. A traição é comandada também pelos jogadores, que se calam diante da movimentação com o fácil e nada comprometedor argumento de que “isso é com a direção do Corinthians, nós temos de nos preocupar em jogar futebol”.

O mais esperado na equipe paulista é Fábio Carille, que tenta retornar a equipe após demissão ainda nesta temporada de 2018. O valor da multa de Jair é de 700 mil dólares, cerca de 2,6 milhões de reais.

Rogério Ceni

Foto: Stephan Eilert/AGIF

Após conquista da Série B pelo Fortaleza, Rogério Ceni esperava receber propostas de equipes da série A, para somente depois decidir seu futuro, e recebeu, mas, do Goiás. Enquanto esperava proposta de algum clube grande, Rogério foi especulado no Santos, mas descartado logo em seguida, e deve seguir no comando da equipe cearense para a próxima temporada.

Satisfeito com a proposta apresentada na conversa com o presidente Marcelo Paz, o treinador deve retornar logo à capital cearense para acertar os detalhes finais do novo acordo e selar a renovação de contrato com o Tricolor.

O mandatário do Leão do Pici prometeu mais melhorias estruturais e elenco competitivo – a previsão de folha salarial gira em torno de R$ 2,5 milhões – para a próxima temporada, sobretudo em razão da Série A nacional – no calendário, também há Campeonato Cearense, Copa do Nordeste e Copa do Brasil.

“Nós temos algumas coisas no entorno disso, não tem absolutamente nada a ver com salário ou coisa assim. Nós já tínhamos conversado antes sobre isso, não tem problema nenhum. Algumas coisas ao redor, a parte de estrutura, a expectativa para o ano que vem. Nós tivemos uma conversa boa, por mais de dura horas, e deve continuar na próxima semana”, explicou Rogério Ceni, em entrevista coletiva.

 Redação CSul – Iago Almeida / Foto: André Durão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *