Fábio brilha, defende três penalidades e coloca Cruzeiro na semifinal da Copa do Brasil

Goleiro pega três cobranças e garante a Raposa na semifinal contra Bahia ou Palmeiras, que se enfrentam hoje (16)
Os torcedores do Cruzeiro voltaram a viver uma noite dramática no Mineirão, do mesmo modo que ocorreu em 2017, nas duas últimas fases da Copa do Brasil. Assim como no ano passado, um dos maiores ídolos da história do clube apareceu de maneira decisiva na edição de 2018. O goleiro Fábio, próximo de completar 800 partidas com a camisa azul, brilhou nas penalidades máximas. Ele defendeu as três cobranças do Santos: dos atacantes Bruno Henrique e Rodrygo e do meia Jean Mota. A Raposa, por sua vez, garantiu 100% de aproveitamento, em chutes de Lucas Silva, Raniel e David: 3 a 0. No tempo normal, o Peixe se recuperou do revés na Vila Belmiro (1 a 0) e venceu o confronto de volta das quartas de final de virada, por 2 a 1. Mas é o Cruzeiro quem celebra nesta quarta-feira a classificação para as semifinais da competição pelo terceiro ano consecutivo, para delírio dos quase 50 mil presentes no Gigante da Pampulha.
Na Copa do Brasil de 2017, Fábio havia sido protagonista tanto na semifinal, diante do Grêmio (vitória por 3 a 2), quanto na decisão, contra o Flamengo (vitória por 5 a 3). E foram justamente Luan e Diego, craques das respectivas equipes, que pararam no camisa 1 cruzeirense. Menos de um ano depois, o ídolo supera os próprios feitos, fortalece ainda mais a sua trajetória no Cruzeiro e se transforma num grande pesadelo para os torcedores do Santos.

No tempo normal, o Cruzeiro poderia ter assegurado seu passaporte para as semifinais sem sustos, pois finalizou duas bolas na trave (uma em cada tempo) e teve outras situações claras, além do gol marcado aos 12min de jogo por Thiago Neves. Já o Santos, que apostou nos contragolpes, garantiu a virada graças à eficiência, em chute de fora da área de Gabriel, no primeiro tempo, e cabeceio de Bruno Henrique, na etapa final.

O Cruzeiro, que já acumulou R$ 11,9 milhões em premiação na Copa do Brasil, aguardará na semifinal o ganhador de Palmeiras x Bahia. O jogo de ida, na Arena Fonte Nova, terminou empatado por 0 a 0. O segundo duelo será nesta quinta-feira, às 19h15, no Pacaembu, em São Paulo. De acordo com o cronograma da Confederação Brasileira de Futebol, a penúltima fase da competição ocorrerá nos dias 12 e 26 de setembro. Os jogos da decisão estão marcados para 10 e 17 de outubro.

O jogo
Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.

A aposta do técnico Mano Menezes para enfrentar o Santos foi a manutenção do time que venceu o Flamengo por 2 a 0, quarta-feira passada, no Maracanã, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Diante de quase 50 mil torcedores no Mineirão, o Cruzeiro necessitava de um simples empate para avançar às semifinais da Copa do Brasil, já que havia superado o Peixe na Vila Belmiro, por 1 a 0, em 1º de agosto. A situação ficou ainda melhor aos 12min do primeiro tempo, quando Thiago Neves recebeu de Arrascaeta, cortou para o meio e chutou rasteiro no canto direito de Vanderlei: 1 a 0.

Disposto a resolver a parada ainda na etapa inicial, o Cruzeiro quase marcou o segundo aos 26min. Edilson tabelou com Thiago Neves, foi à linha de fundo e rolou para trás. Arrascaeta se atirou na bola e concluiu o lance na trave direita do Santos. Em imagem recuperada pelo canal Fox Sports, foi possível ver o técnico Mano Menezes lamentando a jogada e dando a entender que Barcos é quem deveria finalizar. O argentino se encontrava praticamente ao lado de Arrascaeta, porém entre eles estava o lateral-direito santista Victor Ferraz, que poderia atrapalhar o lance.
Depois de desperdiçar a excelente oportunidade, o Cruzeiro caiu um pouco de produção e permitiu que o Santos trabalhasse a bola no campo de ataque. Entretanto, quando tentava chegar perto da meta defendida por Fábio, os jogadores alvinegros eram anulados pelos defensores celestes. Em função dessa dificuldade, a saída foi apostar em chute de longa distância. Assim veio o gol de empate do Santos, aos 42min. De fora da área, Gabriel arrematou forte e rasteiro, no canto esquerdo de Fábio, e empatou no Gigante da Pampulha: 1 a 1.
A igualdade parcial ainda favorecia o Cruzeiro. O Santos, por sua vez, precisaria fazer mais dois gols. As equipes voltaram para o segundo tempo com as mesmas formações. E logo aos 9min, a multidão vestida de azul e branco ficou com o grito de gol entalado na garganta. Robinho cobrou escanteio em direção à marca do pênalti, e Dedé cabeceou forte, acertando o travessão. Aos 12min, mais um ataque perigoso do Cruzeiro. Após boa troca de passes na entrada da área, Barcos deu belíssima assistência para Edilson, que tocou por cima de Vanderlei e só não marcou porque o zagueiro Lucas Veríssimo tirou a bola de cabeça, quase sobre a linha da meta. Aos 14min, foi a vez de Robinho, praticamente na pequena área, carimbar a marcação do Peixe.
Os números do Footstats mostravam que o Cruzeiro chegou a ter 57% de posse de bola no segundo tempo. Mesmo com grande volume de jogo e boas oportunidades criadas, o time não conseguiu fazer o gol que lhe daria tranquilidade. Desta forma, o técnico Mano Menezes fez a primeira substituição aos 23min, colocando Raniel no lugar de Barcos. E aos 31min, trocou o já cansado Robinho por Rafinha. As ‘caras novas’, entretanto, não deram o resultado esperado. E o Santos, num dos raros ataques do segundo tempo, virou o jogo aos 38min. Em cruzamento de Rodrygo, Bruno Henrique se antecipou a Dedé e cabeceou no ângulo direito de Fábio: 2 a 1. Um castigo a quem dominou as ações na etapa complementar e não acertou o pé no momento das finalizações.
O Mineirão ficou incrédulo com a virada santista. E o Cruzeiro, no desespero, tentou o empate. Foram vários cruzamentos malsucedidos dos laterais Egídio e Edilson. Aos 50min, o árbitro paranaense Rodolpho Toski Marques apitou o fim do jogo quando o lateral-direito Victor Ferraz se preparava para lançar a bola em direção a Gabriel, num lance de contra-ataque. O camisa 10 do Santos apareceria sozinho diante do goleiro Fábio, mas o tempo normal da partida já havia terminado. Jogadores e comissão técnica do Peixe protestaram veementemente contra o árbitro. Vladimir, goleiro reserva, acabou expulso.

Melhores momentos do jogo

Pênaltis
Os torcedores cruzeirenses, então, se apegaram ao histórico recente da equipe na disputa por pênaltis para acreditar na classificação. Certamente, veio à memória de cada um as vitórias sobre Grêmio e Flamengo, pela Copa do Brasil de 2017. A esperança era que o goleiro Fábio, herói da Raposa nessas ocasiões, brilhasse novamente.

O Cruzeiro foi quem abriu a disputa, com o volante Lucas Silva, que chutou rasteiro no canto direito e guardou: 1 a 0. A responsabilidade de buscar o empate para o Santos caiu no colo de Bruno Henrique, mas Fábio, esperto, acertou o canto escolhido pelo camisa 11 e espalmou para o lado

Raniel era um dos batedores do Cruzeiro na semifinal contra o Grêmio em 2017. Ele fez o gol na ocasião. Diante do Santos, voltou a alegrar os cruzeirenses. Soltou uma bomba quase no meio do gol e fez 2 a 0. O segundo pênalti do Santos colocou frente a frente Rodrygo, de 17 anos, e Fábio, de 37. Prevaleceu a experiência do veterano, um dos maiores ídolos da história celeste. Ele voltou a pular para o canto certo e rebateu a bola.

Ainda frio por ter entrado nos minutos finais, David passou por apuros. O atacante, contratado ao Vitória por R$ 10 milhões, rolou a bola no meio do gol e viu Vanderlei esticar a perna para tentar a defesa. Para a sorte do camisa 11 celeste, a redonda tocou no goleiro do peixe e morreu no fundo das redes: 3 a 0. Com a situação bastante delicada, o Santos tinha em Jean a luz no fim do túnel para manter aceso o sonho da classificação. Mas Fábio cresceu novamente e formou um paredão. De maneira inteligente e brilhante, o camisa 1 caiu para a esquerda e espalmou. E o Cruzeiro seguiu firme na Copa do Brasil, pronto para brigar pelo hexa!

Penalidades

Fonte: Super Esportes / Foto: Reprodução Redes Sociais/Agência i7/ Mineirão / Vídeos: Canais do YouTube/Cruzeiro Tube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *