Esperança uruguaia, Arrascaeta subiu de patamar com ‘lições’ no Brasil

‘O gol mais bonito da minha carreira’. Arrascaeta não teve dúvidas ao dizer. O voleio contra o América ficará marcado na carreira do meia uruguaio Arrascaeta, um lance de extrema técnica e habilidade para vencer o goleirão João Ricardo em um jogo extremamente pegado no Mineirão. Até aquele momento mágico, o camisa 10 ainda não havia marcado nenhum gol com a camisa celeste em 2010, mas ele sabia que esse momento chegaria. Até Mano Menezes já estava na ‘sua cola’ por um golzinho em 2018.

“Ele (Mano Menezes) falou para mim antes do jogo que estava na hora de fazer um gol. Eu já tinha feito com um gol anulado (contra o Tupi), mas eu nunca perdi a calma. O gol naturalmente ia chegar. Foi fundamental ficar tranquilo e esperar o tempo certo”, disse Arrascaeta.

E que felicidade na batida. Um gol que, se depender da torcida, pode render até um Puskás ao camisa 10. O tema ainda parece um pouco distante na mente do atleta. “Acho que teremos muito gol bonito durante todo o ano. Mas foi um lindo gol se você pegar a construção da jogada. Tem gols que você olha e são inacreditáveis, mas acho que foi um lindo gol”, analisa o uruguaio, agora o terceiro maior artilheiro estrangeiro da história do Cruzeiro, empatado com Montillo, com 36 gols.

Em sua quarta temporada no Cruzeiro, é visível a evolução do camisa 10. O jogador destacou, em sua entrevista, a importância do futebol brasileiro em seu crescimento. Ele possui contrato com a Raposa até o fim de 2019, mas revelou à imprensa uruguaia que existe a intenção da ampliação de seus contrato por mais três temporadas. O jogador também carrega o sonho de atuar na Europa. Para tanto, a esperança é que o atleta, tido como um das esperanças do futebol uruguaio, esteja e faça uma boa Copa do Mundo.

“Ainda tem dois anos de contrato no Cruzeiro, vamos pouco a pouco esperar o que vai acontecer (sobre o contrato). Sempre falei que meu objetivo é jogar na elite em um time importante da Europa. Como falei, o Cruzeiro me ajudou muito na carreira, o futebol brasileiro me fez bem, me formou muito bem dentro e fora de campo. Serei muito agradecido ao Cruzeiro”, declarou.

“Acho que comecei a conhecer o mundo do futebol quando cheguei aqui. Minha vida no Uruguai com o Defensor foi muito diferente. Aqui me formei fisicamente bem melhor do que estava para  ajudar o time. Acho que a tendência é melhorar no decorrer do ano. Vir ao Brasil me fez bem na carreira”, encerou Arrascaeta.

Fonte: O Tempo / Foto: Whashington Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *