Embate final no Mineirão – Cruzeiro e Atlético disputam Estadual

Enfim chegou a grande final. Nas últimas preparações para tentar levantar o título do Estadual, Cruzeiro e Atlético vivem dias decisivos desde o primeiro jogo, no último domingo, que terminou com vitória celeste por 2×1, com gols de Marquinhos Gabriel e Léo. Ricardo Oliveira marcou o gol que deixou o Galo vivo na decisão, precisando apenas de uma vitória simples para se classificar.

A partida de volta acontece neste sábado (20), às 16h30, no Independência, com mando do Atlético, por ter feito a melhor campanha na primeira fase. Um empate dá o título à raposa.

Atlético

No primeiro treinamento fechado do Atlético, os jornalistas pouco puderam ver da atividade comandada por Rodrigo Santana. O zagueiro Réver e o meia Luan estiveram em campo no aquecimento, enquanto o meia Cazares nem desceu com os companheiros.

Das principais dúvidas de Rodrigo Santana (os três citados acima), Luan é o mais provável que jogue. Como não teve nenhuma lesão constatada, estará em campo no sábado. Réver treinou com uma faixa protegendo o tornozelo esquerdo, que está machucado desde o duelo contra o Boa Esporte, pela semifinal. Já Cazares, que nem a campo foi, dificilmente estará à disposição do treinador.

Nesta quarta-feira, os jogadores assistiram vídeos do primeiro jogo da decisão e foram para campo, onde Rodrigo Santana comandou o primeiro treinamento tático e técnico visando o jogo de sábado. Na segunda partida da decisão do Campeonato Mineiro, o Galo precisa vencer por qualquer placar para ficar com o título.

Luan treinou normalmente nesta quarta-feira — Foto: Rafael Araújo

Cruzeiro

Pela primeira vez na semana, Mano Menezes fechou boa parte da atividade na Toca da Raposa. Foi permitida apenas imagens do aquecimento. Em campo, só não esteve o atacante Raniel. Ele sofreu uma pancada na coxa esquerda, ainda no jogo contra o Huracán, pela Libertadores, há uma semana, e fez trabalhos internos. Ele já não havia sido relacionado para a primeira partida da decisão do Estadual.

Jogadores provenientes da base e que vem treinando no profissional, como o goleiro Marlon, o zagueiro Cacá, os volantes Adriano e Éderson, o meia Michel e o atacante Vinícius não estiveram na Toca, já que estão com o time Sub-20 para a segunda partida contra o Corinthians, pelas quartas de final da Copa do Brasil da categoria.

Treino do Cruzeiro na Toca da Raposa — Foto: Gabriel Duarte

Independência

Após inverter a vantagem do Atlético, a Raposa, se não perder no sábado, vai faturar o título Estadual de forma invicta. Caso a conquista se confirme, será a primeira vez que o time cruzeirense vai comemorar um Estadual no Horto. Nas quatro vezes que a decisão mineira entre os rivais aconteceu naquele estádio, em 1954, 1956, 1962 e 2017, o título escapou.

Em 1956, o Campeonato Mineiro teve dois campeões. O Atlético ganhou em campo, mas o Cruzeiro recorreu ao Tribunal de Justiça Deportiva (TJD), e a definição sobre o campeão se arrastou até 1959.

Se ainda não teve a oportunidade de conquistar um título jogando no Independência – até porque o Cruzeiro manda seus jogos no Mineirão -, a Raposa, recentemente, comemorou o hexacampeonato da Copa do Brasil no Horto. Há seis meses, no dia 21 de outubro do ano passado, os cruzeirenses fizeram o jogo da entrega das faixas contra a Chapecoense, pelo Campeonato Brasileiro.

Cruzeiro venceu o Corinthians na final, por 2×1 e levou o caneco / Foto: Flávio Florido

VAR

A Federação Mineira de Futebol (FMF) informou, na tarde de quarta-feira (17), que a sala destinada ao árbitro de vídeo, o VAR, será mantida do lado de dentro do estádio Independência para a finalíssima. A FMF, atendendo a uma solicitação do Cruzeiro, que enviou um ofício para a entidade, consultou a CBF para saber da possibilidade de fazer a mudança, uma vez que a diretoria cruzeirense entendia que, no Independência, poderia haver uma pressão maior dos atleticanos.

Em nota publicada no site oficial do clube, o Cruzeiro disse que “entende que a declaração do dirigente, dada em entrevista coletiva após a primeira partida da final, possui um tom de ameaça que pode vir a prejudicar a lisura e a eficiência da ferramenta caso a mesma seja solicitada durante o jogo.”

VAR já esteve presente em duelo de ida da final do Campeonato Mineiro — Foto: Guilherme Frossard

Títulos

Pela 23ª vez em toda a história os maiores rivais de Minas Gerais vão medir forças na finalíssima do Estadual. Até este momento, quando Galo e Raposa se encontraram em decisões do torneio, o clube estrelado leva vantagem, pois contabiliza 12 troféus contra oito do alvinegro, que obteve sua última conquista na temporada 2017.

O Cruzeiro ficou com os títulos de 1940, 1967, 1972, 1977, 1987, 1990, 1998, 2004, 2008, 2009, 2011, 2014 e 2018 enquanto o Atlético superou o rival em oitos decisões diretas do Mineiro nos anos de 1954, 1962, 1976, 1985, 2000, 2007, 2013 e 2017. Vale lembrar que, na edição de 1956 ambos os clubes foram declarados campeões.

Apesar do Campeonato Mineiro estar em sua 104ª edição, o levantamento leva em conta apenas as vezes que Atlético e Cruzeiro decidiram o estadual de forma direta, sem levar em consideração as outras formas de disputas, como quadrangulares e hexagonais.

Quando o assunto são todos os Estaduais, contabilizando as conquistas dos rivais desde as primeira edição de 1915, o Galo leva vantagem sobre seu maior rival, pois são 44 troféus contra 37 da Raposa.

Fonte: Globo Esporte / Foto: Reprodução Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *