De vilão a herói, Michel Bastos renasce no São Paulo e volta a brilhar

rib_2473

Há três meses, Michel Bastos esteve muito perto de deixar o São Paulo. Xingado a cada derrota por boa parte da torcida, o camisa 7 reclamou de perseguição e deixou no ar a possibilidade de conversar com a diretoria e pedir para ir embora. Os dirigentes não aceitaram e trabalharam nos bastidores para acalmar o jogador, que tinha também o respaldo do técnico Edgardo Bauza. De vilão, o meio-campista se tornou herói, marcando gols importantes e voltando a ser protagonista como era no segundo semestre de 2014, quando foi contratado.

Na quarta-feira, contra o Atlético-MG, era para Michel Bastos não estar em campo. Com uma lesão na coxa direita, ele fez tratamento em dois períodos no CT da Barra Funda desde que o São Paulo retornou do México, onde tinha perdido para o Toluca na semana passada, mas garantira a classificação às quartas de final da Libertadores.

Após avaliação dos médicos, constatou-se que ele só teria condições para aguentar 20, no máximo 30 minutos de jogo no Morumbi. E foi um período suficiente para ele brilhar e, de cabeça,garantir a vitória por 1 a 0, resultado que deixa o São Paulo a uma empate da semifinal da Libertadores – ou uma derrota por um gol de diferença, desde que faça o seu.

– Todo mundo sabe o sacrifício que eu fiz para estar em campo. Quero agradecer muito ao pessoal do Reffis que fez um trabalho espetacular. Pude entrar e ajudar meus companheiros a conquistar uma grande vitória. Agora é continuar tratando porque ainda não estou 100%. Tenho certeza de que na próxima partida estarei melhor preparado – afirmou o jogador.

Michel Bastos foi o último jogador a deixar o estádio do Morumbi na madrugada de quinta-feira. Foi cercado por toda a imprensa e falou sobre a reviravolta ocorrida em sua história no São Paulo. No período de maior turbulência, ele chegou a mandar a torcida ficar quieta após marcar um gol na partida contra o Sport, pelo Campeonato Brasileiro do ano passado. A equipe vinha de uma eliminação na Copa do Brasil para o Santos e o torcedor não perdoou mais um fiasco. Hoje, tudo ficou para trás.

– Todo mundo sabe que gosto de jogar no São Paulo. O problema que ocorreu foi com uma minoria, mas isso é passado. Hoje só penso em ajudar. Fizemos uma grande partida e merecemos o resultado, mas sabemos que vamos enfrentar muitas dificuldades em Belo Horizonte para conseguir a classificação. Mas lutaremos como estamos fazendo a cada partida.

O jogador só não saiu totalmente realizado do estádio devido ao incidente ocorrido na hora da comemoração do gol tricolor. A grade de um dos camarotes do setor térreo cedeu e 20 torcedores caíram no fosso. Desses, 16 se feriram e sete foram encaminhados a hospitais da região.

– O momento era de euforia pelo gol e depois foi de muito susto. A gente parou a comemoração, foi assustador, tinha bastante gente ferida. Vi o Hudson desesperado, vi bastante sangue, tinha uma menina com um corte profundo. Espero que essas pessoas possam se recuperar o mais rápido possível e que logos estejam de volta ao Morumbi para nos ajudar. O torcedor é que faz a diferença para o nosso time. Faço questão de dedicar meu gol a esses que se machucaram – disse Michel Bastos.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *