Copa para Neymar passa por BH; Cirurgia é neste sábado

O sonho de Neymar de levar o Brasil ao hexacampeonato da Copa do Mundo está intrinsecamente ligado a Belo Horizonte. Após sofrer uma lesão no quinto metatarso do pé direito, o camisa 10 da equipe canarinho desembarcará na capital mineira na noite desta sexta-feira (2), onde será submetido no sábado (3), a partir das 9h, a uma cirurgia no hospital Mater Dei, no Barro Preto, para o implante de um parafuso no local da fratura. O procedimento, que será conduzido por Rodrigo Lasmar, chefe do departamento médico da seleção brasileira e do Atlético, é visto como a principal alternativa para o craque disputar o Mundial em plenas condições, uma vez que ele ficará fora de ação de dois meses e meio a três meses.

Segundo o fisioterapeuta Otávio Kiefer, que trabalha com os tenistas mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares e com a seleção brasileira de tênis, a opção de Neymar de não aceitar o tratamento na Europa, como foi sugerido por seu clube, Paris Saint-Germain, está diretamente ligada a Rodrigo Lasmar. “Com certeza ele escolheu Belo Horizonte por conta do Rodrigo, que é uma pessoa altamente capacitada. Ele sabe do renome do Rodrigo e da estrutura que terá para fazer essa cirurgia em Belo Horizonte, onde somos referência”, afirmou Kiefer.

A opinião é compartilhada pelo fisioterapeuta Ricardo Vidal, que há 13 anos trabalha diretamente com atletas de futebol. “Não tem nenhum outro motivo que não seja o Rodrigo Lasmar. Foi uma escolha em conjunto do Neymar, junto com os responsáveis da CBF, o próprio Rodrigo Lasmar e o PSG. O Rodrigo é um médico renomado no mundo inteiro, mas como é especialista em ortopedia, acredito que seja uma opção pessoal do jogador em operar com ele”, aponta Vidal.

Envaidecido. Médico da seleção brasileira nas Copas do Mundo de 1982 e 1986, Neylor Lasmar não escondeu o orgulho de ver seu filho, Rodrigo – que trabalhou nos Mundiais de 2002, 2006 e 2014 –, ter a oportunidade de ser determinante no futuro da seleção brasileira no torneio deste ano.

“É um orgulho ver meu filho tendo a chance de ser útil à seleção brasileira. O Rodrigo terá chance de colocar o principal jogador em campo. É um médico de uma competência incrível, que se preparou muito para isso”, exaltou Neylor.

Em 1986, Neylor teve que fazer uma recuperação recorde para colocar Zico na Copa do Mundo, ainda que em condições deficitárias, uma vez que o “Galinho” teve uma ruptura do ligamento cruzado do joelho esquerdo às vésperas do Mundial. Por isso, ele vê Rodrigo com maior potencial de ser determinante para o futuro da seleção. “A situação é bem diferente da que eu tive em 1986. Acredito que o tempo e a qualidade da equipe do Rodrigo serão determinantes para que o Neymar tenha todas as condições de disputar o Mundial em sua plenitude. A cirurgia não é complicada, e há um tempo hábil para que ele volte à forma física ideal”, completou.

Recuperação. Segundo Fabrício Otoni, que lida diretamente com esse tipo de lesão com atletas do Ultimate Fighting Championship (UFC), a recuperação de Neymar deverá ser iniciada logo no pós-operatório. “Provavelmente, o Neymar vai começar um processo de fisioterapia ainda no hospital. Existem várias técnicas para acelerar o processo de cicatrização, o que será importantíssimo para sua recuperação”, apontou Otoni.

Ainda de acordo com o fisioterapeuta, os próximos dez dias serão determinantes para o sucesso do procedimento. “Acredito que ele vai iniciar o processo o mais rápido possível, o que deve acontecer logo após a retirada dos pontos. Quando isso ocorrer, ele vai ele começar a fazer um trabalho de analsegia, que é diminuir a dor e a aceleração do processo de cicatrização pós-operatório. Isso deve começar entre cinco e dez dias pós-cirurgia”, completa o especialista.

Rotina do hospital muda por completo para receber o craque

A vinda do atacante Neymar mudou por completo a rotina do hospital Mater Dei, localizado no Barro Preto, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Ainda que o jogador chegue provavelmente no fim da tarde desta sexta-feira e permaneça, no máximo, até domingo, toda a estrutura da unidade foi mudada para melhor atendê-lo, conforme nos confidenciou uma pessoa que trabalha no local.

Segundo a fonte, que pediu para seu anonimato ser mantido, a direção do Mater Dei tomou nesta quinta-feira (1) a decisão de que nenhum médico poderá consultar qualquer ficha que não seja a de seu paciente. Assim, nenhuma informação sobre a cirurgia do jogador escapará. Ainda segundo o profissional, nenhum enfermeiro poderá trocar de andar ou ir a uma ala que não seja aquela para a qual normalmente está designado.

Até o fechamento desta edição, não havia uma decisão sobre todos os detalhes da cirurgia. O hospital ainda aguardava um comunicado oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para tomar as providências.

A fonte também não soube precisar o horário da chegada do craque e como ele o fará, uma vez que esses detalhes são mantidos em total sigilo. Porém, é certo que Neymar não contará com um bloco cirúrgico ou andar exclusivo para seu tratamento e recuperação. Ao atleta, foi reservada uma suíte conjugada que mede 24 m x 12 m no total, onde o camisa 10 da seleção e seus acompanhantes, estimados em 15, terão privacidade no período em que estiverem na unidade médica.

O sossego do craque estará garantido por um esquema de segurança especial já montado pelo hospital e pelo staff do jogador. Quase todos os andares da unidade médica dispõem de uma instalação semelhante, o que impossibilita a precisão sobre quarto e andar.

Após a cirurgia, Neymar será levado a uma ala de recuperação privada, onde deverá permanecer por aproximadamente uma hora.

A equipe médica que vai trabalhar no procedimento, marcado para começar às 9h de sábado, será definida pelo médico da seleção brasileira e do Atlético Rodrigo Lasmar, que será o responsável pela cirurgia. Porém, a reportagem de O TEMPO conseguiu a confirmação de que ele e mais um profissional, além de um anestesista, estarão no bloco cirúrgico.

Na cirurgia deste sábado, Neymar vai colocar um pino para corrigir a fratura no quinto metatarso do pé direito. Ele se machucou na vitória sobre o Olympique de Marselha, no domingo, pelo Campeonato Francês. Ainda não está definido como e onde será o processo de recuperação de Neymar, mas a tendência é que ele receba alta hospitalar até o próximo domingo.

Passo a passo

Desembarque. O jogador é aguardado em Belo Horizonte no fim da tarde desta sexta-feira. Neymar deve desembarcar no aeroporto da Pampulha em seu jato particular. De lá, seguirá direto para o hospital Mater Dei, onde terá bastante privacidade. Também não está confirmado, mas o atacante do PSG pode seguir para o centro médico, que tem heliponto, em um helicóptero particular.

A cirurgia. O procedimento é considerado simples pelos ortopedistas e não costuma demorar mais do que 45 minutos. Não é necessário uma internação prévia, mas Neymar deve optar pelo pernoite no Mater Dei para evitar contato com curiosos e torcedores em alguns dos hotéis de Belo Horizonte. Também não é necessário nenhum procedimento específico antes da cirurgia. O paciente precisa estar em jejum de oito horas de alimentos ou qualquer tipo de líquido. Neymar receberá anestesia peridural ou raquidiana, cujo efeito dura, em média, de seis a oito horas.

Recuperação. Do bloco cirúrgico, Neymar vai para uma sala de recuperação até passar o efeito da anestesia. Pelo menos uma noite o jogador terá que dormir no Mater Dei para ficar em observação. Se tudo correr bem, Neymar deixará o centro médico no domingo pela manhã após uma nova avaliação da equipe médica. Ainda não está confirmado se o jogador fará a recuperação no país ou na França, no PSG. Vários clubes, como o Atlético, já colocaram sua estrutura à disposição.

Outros casos

David Beckham. Às vésperas da Copa do Mundo de 2002, o astro inglês David Beckham precisou ser submetido à mesma cirurgia. À época, alguns britânicos clamavam por orações para curar o jogador. Ele ficou parado por sete semanas.

Lionel Messi. Em 2006, quando ainda era uma promessa das “canteras” do Barcelona, Lionel Messi parou por sete semanas, em uma das lesões mais graves da carreira.

Lewandowski. O goleador polonês ficou seis semanas parado em 2016.

Manuel Neuer. Em abril do ano passado, o arqueiro alemão precisou ser submetido à cirurgia, mas se complicou na recuperação, em setembro.

Gabriel Jesus. No início deste ano, o centroavante da seleção assustou a todos ao sofrer a mesma lesão de Neymar. Ele ficou parado por dez semanas.

Fonte: O Tempo / Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *