Com gol de Thiago Neves, Cruzeiro leva vantagem mínima para Itaquera contra Corinthians

Se há uma semana a torcida do Cruzeiro deixava o Mineirão triste em função do empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, que eliminou o time da Copa Libertadores, a noite desta quarta-feira terminou em festa. Diante de mais de 53 mil torcedores, o meia Thiago Neves fez justiça à fama de sempre brilhar em decisões e chamou a responsabilidade no confronto de ida da decisão da Copa do Brasil, contra o Corinthians. Ele marcou o gol da vitória cruzeirense, aos 45min do primeiro tempo, ao cabecear a bola cruzada pelo lateral-esquerdo Egídio. Também foi responsável por um chute na trave, aos 34min da etapa inicial, e de assistências precisas para Henrique e Dedé quase balançarem a rede em finalizações de cabeça.

A grande atuação de Thiago Neves teve todo um sistema por trás. Enquanto o incansável Rafinha corria pelo lado esquerdo, dando trabalho à marcação de Fagner, os volantes Henrique e Ariel Cabral – surpresa de última hora de Mano – contabilizavam inúmeras intervenções no meio-campo, dando o menor espaço possível aos paulistas. Prova disso é que o goleiro Fábio não fez uma defesa sequer em 90 minutos. Cássio, por sua vez, trabalhou bem tanto na primeira quanto na segunda parte.

Na próxima quarta-feira, às 21h45, na Arena Corinthians, Raposa e Timão escrevem o segundo capítulo da final da Copa do Brasil. Ao Cruzeiro, um simples empate basta para alcançar o sexto troféu e se tornar o maior vencedor da história da Copa do Brasil. Pelo quarto título, o Corinthians precisa ganhar por dois gols de diferença. Vitória alvinegra por um tento de vantagem levará a disputa para os pênaltis. Quem conquistar a taça faturará R$ 50 milhões, além dos 11,9 milhões acumulados pelas classificações nas três fases anteriores (oitavas de final, quartas de final e semifinal), e, claro, garantirá presença na etapa de grupos da Copa Libertadores de 2019.

MAIS PERTO DO HEXA

Em vantagem na final, o Cruzeiro também fica mais próximo de algumas marcas: pode ser o primeiro hexacampeão da Copa do Brasil (venceu também em 1993, 96, 2000, 2003 e 2017) e ter o primeiro técnico campeão de duas edições seguidas. Depois de vencer com o Cruzeiro no ano passado, Mano Menezes pode repetir o feito na próxima quarta-feira e alcançar marca inédita na história da Copa do Brasil.

DEDÉ EM PERIGO

Expulso duas vezes nas duas partidas contra o Boca Juniors, pela Taça Libertadores, Dedé se envolveu em novo lance de risco nesta quarta-feira e levou a pior em dividida de cabeça com o zagueiro Henrique, do Corinthians. Atendido pelos médicos, teve de completar a partida com uma touca azul sobre um curativo aplicado na região do supercílio.

Fonte: Super Esportes / Fotos: Agência Estado e O Tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *