Com 11 no DM, Boa Esporte se prepara para jogo contra o Paraná

boa_esporte_1_1

boa_esporte_2_1Após tomar um gol no último minuto e perder a 2ª partida seguida na Série B, o Boa Esporte se reapresentou nessa segunda-feira (18) no CT da Rua Paraná, em Varginha, onde começou a preparação para o confronto contra o Paraná, pela 3ª rodada da competição. A equipe, no entanto, tem 11 jogadores no Departamento Médico, e o técnico Ney da Matta vai ter que juntar as peças desse quebra-cabeças para definir o time que vai a campo no próximo sábado (23), às 16h30.

Ao todo, o Boa tem jogadores de todos os setores no Departamento Médico. Entre eles, o volante Moacir, que se machucou na 1ª rodada, e o meia Bruninho, que sofreu uma pancada na partida contra o Náutico no último sábado (16) e também não tem condições de jogo. Bruninho estava substituindo o já contundido Chapinha, que se machucou em um treinamento durante a semana passada, como explica o médico do clube, Dr. Valterlei Azevedo.

– O Chapinha teve uma lesão muscular e a previsão pra ele retornar é de mais ou menos duas semanas. Já o Bruninho teve um trauma direto no tornozelo. Os exames de imagem não apontaram fraturas, mas eles está com muita dor e a gente vai acompanhar a evolução desse quadro dele. Para este jogo, ele está vetado – afirmou o médico.

Além deles, estão na lista também o goleiro Henrique; o lateral Hugo; os zagueiros Aírton e Gabriel; o volante Léo Baiano; os meias Morato e Thaciano; e o atacante Romarinho. Apesar de alguns jogadores voltarem nas próximas semanas, outros ainda devem demorar a deixar o Departamento Médico.

– As lesões mais graves que a gente tem são a do Romário, que teve uma lesão nos ligamentos cruzados e foi submetido a uma cirurgia, a do Gabriel, também uma lesão ligamentar, o Hugo, que teve uma fratura no pé, e o Morato que teve uma lesão de menisco e foi submetido à cirurgia – contou o Dr. Azevedo.

Com tantos desfalques, Ney da Matta tem que se desdobrar na hora de montar o time. A falta de sequência é um dos principais fatores que o treinador apontada como responsáveis pelo começo ruim na Série B.

– Quando você começa a dar uma cara para o time, você acaba perdendo jogadores. E futebol é sequência, é repetição. Tudo que você faz na vida, para aprimorar, é repetição. Se você tem isso, as coisas andam bem – concluiu o técnico.

boa_esporte_3_1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *