Caldense tem o melhor início no Campeonato Mineiro após 24 anos

O início de campanha da Caldense no Campeonato Mineiro 2020 é melhor de todos os estaduais disputados pela Veterana nos últimos 24 anos. Até agora a equipe acumula 10 pontos, sendo três vitórias, um empate e uma derrota (América 2×2, Uberlândia 2×0, URT 0x1, Villa Nova 2×0 e Boa 2×0).

Em 1996, quando o Verdão foi campeão do interior, fez 11 pontos nas cinco primeiras rodadas (URT 1×1, Uberlândia 2×0, Cruzeiro 1×1, Valeriodoce 2×0 e Guarani 2×1), desde então não conseguiu fazer mais do que 9 pontos. Na campanha do vice-campeonato mineiro de 2015, por exemplo, a Veterana chegou à quinta rodada com 9 pontos, sendo duas vitórias e três empates (Mamoré 6×1, Cruzeiro 1×1, Tombense 1×1, Guarani 2×0 e América 0x0).

O caminho ainda é longo, restam seis rodadas pela frente. Entretanto, o desempenho alviverde pode ser explicado pela sequência de trabalho dos atletas do grupo. Grande parte dos jogadores atuam juntos e são treinados pelo técnico Marcus Paulo Grippi desde 2013, quando maioria estava na categoria Sub-15, um caso raro no futebol brasileiro.

Ao todo são 14 jogadores: Alyson, Jonathan Costa, Guilherme Martins, Lucas Mufalo, Morais, Victor Françoso, Rafael Rosa, Verrone, Franklin, Lucas Silva, Nathan, Artur, João Victor e Vinícius. Todos passaram pelo Sub-15 do SEV Hortolândia, depois estiveram no Sub-17 e Sub-20 do Bragantino. Na sequência alguns rodaram por outros times, se reencontraram no profissional do Grêmio Osasco e agora estão na Caldense. O auxiliar técnico Guga e o preparador de goleiros Vhenycius também fizeram parte dos trabalhos.

Nesse período os atletas participaram de alguns feitos, chegaram às quartas-de-final final da Copa São Paulo com o Bragantino em 2017 e em 2019 integraram o plantel da Veterana que terminou a primeira fase da Série D na liderança geral da competição, entre 68 times. Dos 14 jogadores, oito e às vezes nove, tem sido titulares da Caldense. Isso significa de 73% a 82% da equipe das últimas partidas.

“Atualmente no futebol brasileiro é muito comum vermos grupos sendo montados e trabalhando pouco tempo junto. Esses atletas estão com a gente há sete anos. Todos têm um excelente relacionamento, são amigos dentro e fora de campo. Formam uma família. Todos se conhecem muito bem, cresceram juntos e sabem a maneira do outro de jogar. Isso proporciona um excelente entrosamento e consequentemente contribui para um bom desempenho” – disse o técnico Marcus Paulo Grippi.

Fonte e foto: Renan Muniz/Assessoria Caldense 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *