Argentina não sai do 0 a 0 com o Uruguai e segue com vaga ameaçada na Copa

No primeiro desafio oficial de Jorge Sampaoli à frente da Seleção Argentina, os Hermanos tentaram de tudo, mas não passaram de um 0 a 0 com o Uruguai no clássico válido pela 15ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. Sob a liderança de Messi, a Argentina dominou, deteve a posse da bola e ignorou a pressão de um Estádio Centenário completamente lotado, em Montevidéu. O Uruguai, apesar da dupla Cavani e Suárez no ataque, até teve algumas oportunidades, mas passou o tempo todo focado em se defender. Com o jogo truncado, algumas vezes violento, não teve jeito. Nada de gols.
O resultado acabou sendo pior para os visitantes. Agora, a apenas três rodadas do fim das Eliminatórias, a Argentina segue na quinta colocação, com 23 pontos, e nesse momento iria apenas à repescagem contra o campeão da Oceania, em uma última tentativa de jogar o Mundial da Rússia.
Para deixar a situação ainda mais dramática, a vitória do Paraguai deixa a Argentina ainda mais ameaçada. Já o Uruguai chega aos 24 pontos e segue na terceira colocação por causa da derrota do Chile.
Na 16ª rodada, a Argentina receberá a Venezuela em Buenos Aires. O duelo está marcado para terça, às 20h30. No mesmo dia, mas às 21h (sempre em horário de Brasília), os uruguaios visitarão o Paraguai, em Assunção.

O jogo

Antes da bola rolar, argentinos e uruguaios, autores de uma das maiores rivalidades do mundo, se uniram pela campanha para sediar a Copa do Mundo de 2030 de forma conjunta. Os companheiros de Barcelona, Messi e Suárez, foram os protagonistas da ação.
As amizades, no entanto, foram esquecidas após o apito inicial. Como sempre, Uruguai e Argentina fizeram um clássico pegado, viril e de muito trabalho para o árbitro. Outro fato que não surpreendeu foi a postura recuada dos donos da casa, com os visitantes, ao velho estilo Sampaoli, atuando muitas vezes com os 10 jogadores de linha dentro do campo ofensivo.
Messi foi marcado de perto e teve poucas oportunidades contra o Uruguai: empate pior para argentinos

 

O primeiro lance mais perigoso, depois de uma fase de estudos, veio com Lionel Messi. O craque argentino bateu cruzado e Otamendi chegou um segundo atrasado na segunda trave.
A resposta do Uruguai veio imediatamente. Cavani venceu a briga no alto e Suárez tentou surpreender Romero, que estava adiantado. Do meio do campo, o centroavante arriscou por cobertura, mas acabou exagerando na força.
Antes do intervalo, casa seleção ainda teve uma chance de abrir o placar. Pelo lado dos uruguaios, Cavani não soube aproveitar a falha de Romero e bobeou dentro da área. Aos 42, Messi tabelou com Dybala e obrigou Muslera a trabalhar.
Na segunda etapa, o jogo que já era truncado passou a ficar violento. Víctor Carrillo começou a distribuir cartões e ainda teve de conter a fúria dos jogadores, que discutiram entre si algumas vezes.
Para tentar alguma coisa, Sampaoli ainda colocou Pastore e Acosta no clássico, enquanto Oscar Tabárez, com menos opções, apostou em Corujo para tentar terminar com os 11 atletas. Suárez, que jogou no sacrifício, também precisou sair aos 38 e foi aplaudido por cerca de 50 mil pessoas.
 
URUGUAI 0 X 0 ARGENTINA
URUGUAI
Fernando Muslera, Martín Cáceres, José Giménez, Diego Godín e Gastón Silva; Nahitan Nández, Álvaro González (Corujo), Matias Vecino e Cristian Rodríguez; Luis Suárez (Stuani) e Edinson Cavani
Técnico: Óscar Tabárez
 
ARGENTINA
Sergio Romero, Gabriel Mercado, Federico Fazio e Nicolás Otamendi; Lucas Biglia, Guido Pizarro, Acuña (Acosta), Angel Di María (Correa), Lionel Messi e Paulo Dybala (Pastore); Mauro Icardi
Técnico: Jorge Sampaoli

Local: Estádio Centenário, em Montevidéu (Uruguai)

Data: 31 de agosto de 2017 (Quinta-feira)
Árbitro: Víctor Carrillo (Peru)
Assistentes: Jonny Bóssio (Peru) e Coty Carrera (Peru)
Cartões amarelos: URUGUAI: José Giménez, Álvaro González. ARGENTINA: Mercado, Pastore
Fonte: Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *