Após vitória no Max Fight, Vinicius Salvador se espelha no Spider e mira carreira no UFC

“Fenômeno”. O apelido não é pouca coisa para quem ainda está buscando um espaço no mundo das lutas. Mas, pouco a pouco, Vinícius Salvador vai provando porque merece a alcunha que ganhou há tempos na academia onde treina desde os 8 anos de idade, em Varginha, no sul de Minas Gerais.

No último teste, não foi diferente. Fazendo a penúltima luta da noite no Max Fight 19, o lutador de apenas 21 anos deu um show de movimentação, habilidade e força. Venceu o rival Roberto “Mão de pedra” Souza por nocaute técnico a 1m50 do terceiro round. O estilo, com guarda baixa em diversos momentos e muita esquiva, traz a marca do ídolo, Anderson “The Spider” Silva.

Vinícius Salvador treina em Varginha desde os 8 anos de idade (Foto: Régis Melo)

– Eu sempre peguei muito o estilo dele de treino e de luta. E desde então eu só luto assim. Mas eu sou um privilegiado do povo querer me comparar com o Anderson Silva.

Vinícius Salvador venceu Robeto de Souza no Max Fight 19 (Foto: Alexandre Valle)
Vinícius Salvador venceu Robeto de Souza no Max Fight 19 (Foto: Alexandre Valle)

Carreira

De origem humilde, o Fenômeno começou a treinar na academia porque a mãe trabalhava no local. Um dia, depois de assistir do lado de fora diversas aulas, foi convidado pelo técnico e empresário Marcelo Ribas para subir no tatame. Aí não saiu mais.

– Minha família inteira sempre me apoiou. Minha mãe me apoia demais, minha avó, minha tia. Graças a Deus, eu tenho uma família que sempre me apoiou demais nisso. Se não fosse por eles, eu não estaria até aqui hoje.

Os treinos viraram diários. A luta foi tomando cada vez mais espaço na vida de Vinícius, que começou a competir profissionalmente. Além de Anderson Silva, o Fenômeno ganhou uma referência muito mais próxima, a lutadora Amanda Ribas, que é filha de Marcelo e recentemente assinou com o UFC.

– Estou seguindo os passos da Amanda, porque ela deixou muitas portas abertas para a gente que é mais novo. Ela assinou primeiro com o Jungle, depois eu assinei. Foi para o Max Fight, depois eu fui. Então querendo ou não, ela foi puxando a gente. E as nossas metas vão batendo junto.

Marcelo Ribas (à direita) é técnico e empresário de Vinícius (Foto: Raphael Marinho)
Marcelo Ribas (à direita) é técnico e empresário de Vinícius (Foto: Raphael Marinho)

Max Fight e futuro

O esforço nos treinos tem sido traduzido em vitórias nas lutas. São 11 combates, ao todo, com 10 vitórias (9 nocautes) e apenas uma derrota. A invencibilidade já chega a dois anos e meio. Mas quem viu Vinícius no ringue no Max Fight 19 não imagina o esforço que ele precisou fazer para bater o peso para a luta. Pesando normalmente 75 kg, ele está acostumado a lutar na categoria Galo (até 61,2 kg), mas desceu para a Mosca (até 56,7 kg) e precisou cortar mais peso nos dias que antecederam o combate.

– Eu sofri demais, porque querendo ou não, eu desço para 61 kg, então meu corpo está acostumado a descer para 61 kg. Essa luta foi diferente. Estava dando tudo errado para mim, porque eu machuquei, sofri acidente de moto, então não estava treinando direito, estava fazendo só preparação física. Então isso estava prejudicando demais a minha perda de peso. E eu sofri muito. Chegou meus dois últimos dias e, se não fosse meus amigos de treino, ia ser difícil demais para mim bater esse peso – contou.

Agora Vinícius está fazendo um trabalho de nutrição direcionado para controlar o peso e não precisar se sacrificar tanto. Tudo em nome de seguir vencendo e atingir o objetivo maior: conquistar o cinturão do UFC.

– Isso aí é o que mais me motiva, porque os treinos são muito fortes. A gente sempre fala que o treino é mais difícil do que a luta, a luta é uma diversão. Porque a luta são cinco rounds de cinco minutos. Os treinos são duas horas direto. Então o treino é bem mais pegado, bem mais difícil.

– Mas você chegar lá, ganhar, ser campeão da sua categoria, é a melhor sensação do mundo. Sofre? Sofre. Mas depois tem a glória no final – completou.

Academia Ribas, onde Vinícius treina desde pequeno (Foto: Régis Melo)
Academia Ribas, onde Vinícius treina desde pequeno (Foto: Régis Melo)

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *