Amanda Ribas abriu o jogo e falou sobre momento no UFC

Lutadora falou em entrevista exclusiva ao CSul sobre expectativa, preparação, adversária e até sonho pelo cinturão.

Redação CSul – Alisson Marques/Foto: Karen Emanuelle/CSul

A varginhense Amanda Ribas, foi convidada pelo UFC a participar de um dos maiores eventos dos últimos tempos da organização, trata-se da “Ilha do UFC”, que será disputada no dia 11 de Julho, em Abu Dhabi.

Amanda irá encarar uma velha conhecida, a norte-americana, Paige VanZant. Vale lembrar que as duas atletas se enfrentariam no UFC Brasília no dia 14 de março, no entanto, Paige sofreu uma lesão e ficou de fora do evento. Na ocasião, Amanda enfrentou a marroquina, Randa Markos e saiu como vencedora.

Confira a entrevista exclusiva:

  • Enfim, Paige VanZant, da primeira vez ela sofreu uma lesão e não pode enfrenta-lá. Mas, e agora qual sua expectativa para essa luta?

“Eu estou me preparando pra vitória, estou treinando muito, muito mesmo! A primeira luta seria até 52 kg, dessa vez será até 57, uma categoria acima da minha. Muita gente me perguntou sobre lutar em uma categoria diferente da habitual, estou fazendo isso para me testar. Quem sabe mais pra frente eu sigo os passos da Amanda Nunes e sou campeã em duas categorias.”

  • Lutar em um card tão grande, talvez o principal dos últimos tempos, mostra que você está crescendo e está chamando atenção do UFC?

“Eu acho que sim né? Esse card tá muito grande, eu acho que eles não colocariam alguém meia-boca lá. (risos).”

Amanda irá participar do card principal da Ilha do UFC/Foto: Karen Emanuelle/CSul
  • Uma possível vitória contra Paige poderá te colocar em qual posição? Dá pra pensar em cinturão?

“Então, essa luta é na categoria de cima, mas eu espero lutar com as cinco melhores da minha categoria (peso-palha) pra poder subir cada vez mais no ranking.”

  • Pensa em alguma adversária pós-luta e possível vitória contra Paige?

“Entre as top-5 têm umas que eu já espero. Nesse meio tem duas brasileiras, mas tem uma que eu gostaria de enfrentar que é a “Claudinha” (Claudia Gadelha). Ela disse em uma entrevista que a próxima luta que ela vencer já irá disputar o cinturão, então quem sabe essa próxima luta dela seja comigo e a vencedora dispute o título.”

  • Depois dessa luta, você fica no mosca ou volta pro palha?

“Não, minha categoria é o palha mesmo. Essa luta será só um teste.”

  • Qual a principal diferença da Amanda que iria enfrentar Paige da primeira vez, para essa que vem de vitória sobre Randa Markos?

“A principal diferença é o peso e a força. Estrategicamente eu estou fazendo tudo certinho, treinando muito forte, talvez até mais do que da primeira vez.”

  • Pretende continuar treinando em Varginha ou assim que liberar o visto pensa em voltar para os Estados Unidos?

“Com certeza eu quero ficar! Aqui tem a casinha da mãe, pessoal legal. Aqui tudo está dando certo. Tem gente que acha que você precisa ir para os EUA e não, eu não acho isso. Quero provar que você pode sair daqui do (Sul de Minas) e conquistar o mundo. Sendo 100% Varginha.”

Lutadora demonstrou todo carinho e respeito por Varginha e região/Foto: Karen Emanuelle/CSul
  • Como foi lutar sem público na última luta? Parecia um treino?

“Foi diferente! Treino não parecia por conta da minha adrenalina, eu estou ali e sei que é competição. Por outro lado, todo mundo que luta no Brasil espera aquele “Uh, vai morrer” e não teve isso. Também tem aquela extravasada no final da luta e dessa vez não aconteceu, eu achei muito diferente. Outro detalhe foi a quantidade de gente trabalhando pelo UFC, dessa vez foi um número reduzido.”

  • Melhor maneira de sair vencedora próxima luta?

“Eu imagino e quero nocaute na linha de cintura ou finalização no pescoço. (risos).”

Amanda disse que esperar vencer Paige por nocaute/Foto: Karen Emanuelle/CSul
  • Muita gente procura você para bajular, tirar uma foto?

“Criança sempre vem, para ali na porta e acha que eu não treino aqui, daí quando me vê treinando é uma satisfação muito grande. Esses dias fui em um supermercado e as pessoas me paravam pra tirar foto, conversar… isso é tudo muito bom!”

Lutadora não esconde satisfação por reconhecimento e bajulação de fãs, principalmente do público infantil/Foto: Karen Emanuelle/CSul
  • Faltando menos de um mês para luta, como tem sido a preparação, quais os cuidados para esse desafio?

“Primeiro é alimentação, tenho tomado vitamina pra não deixar a imunidade abaixar. Os treinos ainda são forte nessas duas semanas e depois foco no peso.”

  • Qual seu palpite para os outros brasileiros que irão lutar no mesmo card?

“Eu acho que todos eles têm muita chance. Depende da cabeça, de como vai estar, se vai recuperar do fuso-horário. Tem também a questão das altas temperaturas lá. Eu acredito em todos.

  • Por fim, o que esperar da famosa luta na ‘ilha’?

“Quando surgiu esse papo de ilha a gente pensava que era algo pequeno. Foi cogitada até aqui no Brasil, mas é totalmente diferente! Eu lutei sem torcida e agora irei lutar numa ilha. (risos).”

Pai e treinador de Amanda, Marcelo Ribas também falou com o CSul/Foto: Karen Emanuelle/CSul

Confira o card principal da “Ilha do UFC”

Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Gilbert Durinho
Peso-pena: Alexander Volkanovski x Max Holloway
Peso-galo: Petr Yan x José Aldo
Peso-palha: Jéssica Bate-Estaca x Rose Namajunas
Peso-mosca: Amanda Ribas x Paige VanZant

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *