Mais que um sonho: violinista mineira será atração em novo espaço do Rock in Rio

Quando Daiana Mazza começou a solar notas de música erudita combinadas às batidas da música eletrônica, não demorou muito tempo para que começasse a chamar a atenção do público. Nos últimos anos, a violinista de Três Pontas (MG) já rodou o país, se apresentou com grandes artistas brasileiros e gravou o próprio disco. Mas em setembro, a artista alcança a “nota” mais alta de sua performance. Ela participa da próxima edição do Rock in Rio, em setembro deste ano, com o trio de violinistas Tritony, inaugurando o novo espaço do evento, Rock District.

Com apenas pouco mais de quatro anos de caminho desde que Daiana entrou no pop instrumental, ela conta que foi difícil acreditar quando o telefone tocou com o convite para o evento. A possibilidade também foi uma surpresa, já que a artista foi descoberta pela organização pelos vídeos que postava no YouTube.

“O convite me deixou paralisada a princípio. É o tipo de coisa que, quando acontece, você não acredita, quer sair gritando de alegria pela rua, fica sem dormir por uns dias. Depois que a ficha caiu, eu comecei a sentir a enorme responsabilidade disso, mas acredito que é para um momento como esse que estudei e me preparei tanto. Me sinto honrada, com uma alegria enorme.”

Quem vê Daiana se apresentando para o público, fica admirado com os passos de dança ritmados da artista se misturando à interpretação de um instrumento tão clássico. Quem a conhece também não poderia imaginar a combinação. Daiana começou sua carreira e estudou a música erudita no interior de Minas Gerais, entre Três Pontas e Varginha.

Em algumas apresentações, já misturava a música popular à sonoridade clássica, mas o encontro entre dois mundos tão diferentes só aconteceu depois que ela foi chamada para fazer um trabalho com um DJ em Belo Horizonte (MG). Ao se mudar para o Rio de Janeiro (RJ), onde atualmente mora, várias propostas foram surgindo e o novo gênero se tornou uma possibilidade.

“A mudança para o eletrônico foi mais complexa. Eu não era de balada, não sabia música alguma, não tinha ideia de como era tocar com um DJ! Mergulhei nos vídeos para entender a ‘vibe’, pesquisei muito e conversei bastante com DJs. Em pouco tempo já estava tranquila fazendo shows”, conta.

A popularidade foi rápida na “Cidade Maravilhosa”, já que a mistura entre o eletrônico e o violino ainda é pouco comum no Brasil. Nesse tempo de carreira, Daiana se apresentou em locais icônicos do Rio de Janeiro, como o Hotel Copacabana Palace e o Estádio Maracanã. Acompanhou artistas como Luiza Possi, Sandy, Chitãozinho e Xororó, e ainda gravou trilhas e cenas de novela da Rede Globo.

Daiana Mazza, de Três Pontas, é atração confirmada em novo espaço do Rock in Rio (Foto: Diogo Luna/Divulgação)

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *