Hora do Empreendedor com Ibraim Gustavo – A mudança radical de um negócio pode ser a única saída

E se você precisar repensar a atividade principal do seu comércio? Você estaria preparado? A mudança radical de um negócio pode ser a única saída para muitos empreendedores que atuam em determinado ramo, e que não querem ver as portas fechando.

Já parou pra pensar que talvez o seu cliente esteja buscando aquilo que você não vende? Mas, como saber o que ele quer, se toda vez que ele te procura, é para comprar algo que você possa vender a ele, e já tenha à disposição?

Quem se lembra do início das atividades da Amazon? Jeff Bezos transformou sua livraria na gigante do mercado de eletrônicos, em um dos maiores marketplaces do planeta e, finalmente, numa enorme produtora e distribuidora de séries e filmes, com títulos que concorrem a grandes prêmios do cinema internacional. Sem falar na crescente frota de aviões que a companhia Amazon Air possui, tendo adquirido doze novos modelos Boeing 767-300 em plena pandemia. Agora, são um total de 80 aeronaves que fazem o transporte das mercadorias compradas por pessoas em todo o mundo.

Isso se chama visão. Visão de mundo, de negócios, de oportunidades. Visão de alguém que está perto de seus clientes, e que se coloca à disposição para ouvir o que eles têm a dizer. Visão de quem entende que, muitas vezes, a mudança radical de um negócio pode ser a única saída. Não à toa, o homem mais rico do mundo precisou contratar para sua empresa 75 mil pessoas durante a crise, que se somam às outras 100 mil empregadas em março, enquanto empresas ao redor do mundo estão demitindo funcionários em massa.

Bezos mudou o produto, mudou o serviço, alterou o core de sua empresa, e se tornou um dos mais célebres CEOs do início do século 21. E ele não precisou esperar uma crise acontecer para entender que a mudança radical de um negócio, se bem efetuada, traz benefícios e crescimento à empresa, podendo ser, muitas vezes, a única saída para um empresário.

Tomando esse exemplo, podemos refletir o quanto nossas empresas, lojas e comércios podem – e devem – sofrer alterações significativas para atender a uma demanda que muitas vezes nos está escondida ou reprimida. E existem algumas formas de descobrir o que as pessoas querem: primeiro, entendendo as dores do mundo e as aflições que as pessoas estão passando. Depois, perguntando a elas o que elas querem.

Aproximar-se do seu público para uma conversa sincera pode te trazer incontáveis benefícios, muitos deles que você talvez nem soubesse. Imagine que seu cliente tão fiel está ansioso por alguma coisa. Ninguém melhor que você, em quem ele tanto confia, para resolver esse problema, não é mesmo?

Ibraim Gustavo – Jornalista, pós-graduado em Marketing (UNIP) e MBA em Comunicação e Mídia (UNIP). É também escritor, redator e radialista, e possui formação em Profissões do Futuro (plataforma O Futuro das Coisas), e no programa Restartse (plataforma StartSe).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *