Flipoços bate recorde de público e fecha edição de 2017 com R$ 1 milhão em vendas

A 12ª edição do Festival Literário de Poços de Caldas (Flipoços-MG), que terminou no domingo (7), bateu recorde de público esse ano. Segundo levantamento feito pela GSC Eventos, empresa que organiza o festival, cerca de 70 mil pessoas passaram pelo evento. A expectativa da organização era de 50 mil. Durante os nove dias, os palestrantes falaram sobre felicidade, corrupção e causaram polêmica em suas declarações, além das vendas de livros e apresentação de novos escritores.

A edição deste ano do Flipoços começou no dia 29 de abril, e até 7 de maio foram mais de 120 atividades gratuitas, com 80 convidados da literatura. O primeiro fim de semana do evento teve a presença de Milton Hatoum, escritor escolhido para ser o patrono do festival em 2017.

Flipoços teve público de 70 mil pessoas (acima, à esq.), com a presença de Clóvis Barros (acima à dir.), Miriam e Matheus Leitão, e Vladimir Netto (meio à esq.), comitiva moçambicana (meio à dir.), Deltan Dallagnol (abaixo à esq.) e Dom Bertrand de Orleans e Bragança (abaixo à dir.) (Foto: Samantha Silva/G1 | Lucia Ribeiro/G1 | Bruno Alves/Flipoços)

“Eu aceitei [o convite] porque gosto de Minas, gosto de Poços, tenho ótimos leitores em Minas. Para mim, é uma honra ser o patrono da feira”, disse o escritor em entrevista ao G1 pouco antes do evento.

Entre as palestras de maior destaque, o filósofo Clóvis de Barros lotou o Espaço Cultural da Urca para falar sobre a felicidade. O herdeiro da família imperial brasileira, Dom Bertrand de Orleans e Bragança, fez declarações polêmicas sobre os índios e homossexuais durante a palestra no Flipoços. O procurador e coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF), Deltan Dallagnol, também fez no festival o lançamento do seu livro “A luta contra a corrupção: a Lava Jato e o futuro de um país marcado pela impunidade”.

Flipoços bate recorde de público em 2017 com 70 mil pessoas (Foto: Bruno Alves/Flipoços)
Flipoços bate recorde de público em 2017 com 70 mil pessoas (Foto: Bruno Alves/Flipoços)

A organizadora do evento, Gisele Ferreira, afirmou que a edição deste ano superou não só as expectativas de público, mas também de negócios. “A programação foi intensa e pensada ainda mais para atender todos os públicos. Apesar das dificuldades financeiras para realizar a feira e o festival, felizmente, conseguimos colocar os dois eventos de pé. Graças a muitas parcerias, apoios e alguns patrocinadores, realizamos um dos mais emblemáticos festivais literários de toda nossa história.”

Gisele também destacou a presença da comitiva de escritores moçambicanos no Flipoços, que incentivou os planos para a próxima edição do evento. “[A presença de Moçambique] inaugura uma nova fase do festival: a valorização e inclusão da literatura de novos escritores dos países de língua portuguesa no Brasil. Para 2018, mais países de língua portuguesa serão apresentados aqui através do Flipoços, proporcionando a inclusão de escritores de alta qualidade literária, mas com pouca visibilidade em nosso país. Essa é um dos nossos objetivos.”

Organizadora do Flipoços, Gisele Ferreira, ao lado de Milton Hatoum no Flipoços (Foto: Bruno Alves/Flipoços)
Organizadora do Flipoços, Gisele Ferreira, ao lado de Milton Hatoum no Flipoços (Foto: Bruno Alves/Flipoços)

Feira do livro

Ainda segundo levantamento da empresa que organiza o Flipoços, a Feira do Livro de Poços de Caldas teve em torno de R$ 1 milhão em vendas nos nove dias de evento. Este ano, 70 expositores disponibilizaram lançamentos de livros, novos escritores e clássicos da literatura.

O G1 também apurou com os expositores quais foram os livros mais vendidos no Flipoços. Nos dois primeiros lugares, estão obras influenciadas pelo sucesso de público nos cinemas e serviços de streaming: “Os 13 porquês”, adaptado em um seriado para o Netflix, e a Bela e a Fera, longa-metragem da Disney. Em terceiro, aparece o clássico “O Diário de Anne Frank”.

Confira abaixo a lista completa:

1. Os 13 porquês: O livro conta a história de Hanna Baker, uma adolescente que suicidou após vários episódios de bullying. Hanna deixa sete fitas cassetes com 13 motivos que a levaram a se matar para 13 pessoas. Um desses jovens é Clay Jensen, colega de classe, apaixonado pela garota e agora um dos porquês. Clay passa noites ouvindo as fitas e tentando descobrir como contribuiu para que Hanna se matasse.

2. A Bela e a Fera: Todos conhecem a história da jovem camponesa que se torna refém de uma fera para ajudar seu pai. A versão original, de Madame de Villeneuve, foi publicada em 1740, em 1991 ganhou uma versão me cinema feita pela Walt Disney e em 2017, ganhou nova adaptação do filme clássico.

3. O Diário de Anne Frank: O livro conta a história de Anne Frank e mais sete pessoas que se esconderam em um anexo secreto em Amsterdã, para fugir dos nazistas durante na Segunda Guerra Mundial. Após cerca de dois anos escondidos, os judeus são capturados e levados para um campo de concentração. O livro é composto pelo diário escrito pela menina de 13 anos, enquanto ainda estava escondida no anexo.

4. Augusto Cury: Médico psiquiatra, psicoterapeuta, pesquisador e escritor, os livros de Augusto Cury foram alguns dos mais procurados pelo público que passou pela Feira do Livro de Poços de Caldas. Cury é o autor mais lido na última década, com livros publicados em mais de 70 países e mais de 25 milhões de livros vendidos no Brasil. Na feira, os livros mais procurados foram “O vendedor de Sonhos” e “Ansiedade 1 e 2”.

5. O Pequeno Príncipe: Clássico da literatura, o livro conta a história de um piloto que cai no deserto do Saara e encontra uma criança loura, que diz ter vindo de um planeta distante e pequeno. Enquanto o viajante tenta consertar o monomotor, o pequeno príncipe conta sua história até chegar ao planeta Terra e ali eles repensam valores e encontram o sentido da vida.

6. Animais Fantásticos e onde Habitam: Escrito por J. K. Rowling, autora da série Harry Potter, sob pseudônimo de Newt Scamander, o livro trata-se de um guia com mais de 80 espécies de animais e seus respectivos hábitos e costumes. O livro foi adotado como base na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde se passe a história de Harry Potter. Em 2016, o livro ganhou uma versão cinematográfica. Nela, Newt precisa usar suas habilidades para capturar as criaturas que fugiram em Nova York.

7. Guardiões da Galáxia: Um alienígena está em busca de um androide fugitivo e começa a invadir bares e interromper drinks. É então que Rocket Racoon e Groot entram na história e tentam descobrir quanto vale o tão cobiçado gravador, para salvá-lo. Porém, enquanto eles tentam fazer isso, o Império Kree e a Tropa Nova estão em busca deles.

8. O Diário de um Banana: Com 11 livros publicados, a coleção Diário de um Banana foi uma das mais procuradas na feira do livro por crianças e educadores. Os livros contam a história de Greg Heffley, um garoto que no seu dia a dia tem que lidar com os irmãos, os pais e a escola. Além disso, Greg tem o sonho de ser famoso e popular. Os livros falam sobre as férias, dia dos namorados, solidão, confronto com os pais e autoconhecimento.

Feira do Livro de Poços de Caldas teve R$ 1 milhão em venda de livros (Foto: Samantha Silva/G1)

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *