Emissoras fecham 2017 com faturamento perto do vermelho; Globo segue bilionária

O ano de 2017 foi tenebroso para algumas emissoras no quesito financeiro. Com exceção da Globo, que segue líder até mesmo em seu faturamento, os demais canais penaram para fechar o ano em boa situação, e algumas chegaram a ficar no vermelho.

Segundo o colunista Ricardo Feltrin, do “UOL”, a Record deve anunciar faturamento entre R$ 1,8 bilhões a R$ 2 bilhões. Grande parte do montante é vinda da injeção de dinheiro da Igreja Universal por ocupar as madrugadas, algo que não tem data para acabar.

O lucro líquido, no entanto, deverá ser menor que os R$ 227 milhões anunciados em 2016, mesmo com os diversos cortes de gastos e a redução de ações trabalhistas.

Já o SBT foi o que mais sofreu em 2017: fechou o ano no vermelho, com faturamento estimado em menos de R$ 800 milhões. As demissões que chegaram a 100 nomes em novembro serviram para o que cenário não fosse ainda pior.

Outra situação que pesou para o Grupo Silvio Santos em geral foi a multa de R$ 2 bilhões movida pela Receita Federal por conta de irregularidades na tentativa de “salvamento” do Banco Panamericano.

No Morumbi, o Grupo Bandeirantes segue a passos curtos em sua recuperação financeira. Encerrou 2017 com faturamento de R$ 350 milhões, e não deve ter nenhum lucro líquido, já que ainda possui dívidas, inclusive com a Globo com direitos de transmissão passados.

Já a RedeTV! deve ter faturamento menor que o de 2016, quando conseguiu R$ 390 milhões. Porém, o lucro do canal nunca é levado a público, ainda que com as vendas de horário para as igrejas evangélicas. Algo que, assim como a Band, salva a emissora.

Na contramão da concorrência, mas ainda em retração, a Globo foi a que conseguiu melhor resultado em 2017: também com cortes de gastos, redução de luxos e de contratos longos e milionários, o Grupo Globo fechou o ano faturando R$ 15 bilhões. Destes, R$ 1,7 bilhão será de lucro líquido.

Fonte: RD1 / Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *