Artigo Juarez Alvarenga – Situação Preocupante

O orçamento brasileiro nos mostra um déficit preocupante e
continuo.

A receita brasileira está no topo o que deveria ter uma folga
orçamentária significativa.

Pelo lado da receita não tem como esticar mais o que nos leva a
perguntar o que está acontecendo com o déficit o que deveria estar, no
mínimo, zerado.

O Brasil gasta mal e a corrupção, desenfreada, consome
integralmente os gastos públicos.

Acreditamos que a corrupção encoberta seja, no mínimo cinco vezes
maior do que a descoberta.

Onde há o ser humano e o dinheiro juntos temos provado que o homem
é uma falcatrua da natureza que não deu certo. Por isso, uma investigação
inteligente e um sistema jurídico eficiente, são duas perolas justiceirad,
para diminuir a corrupção, porém acabar seria uma utopia inocente.

Acreditar na poupança privada como instrumento principal de
evolução econômica, pois através dela que os investimentos aparecem, e,
consequentemente, os empregos é o que nos resta.

Para isto é necessário lucros significativos. E isto, só acontece
com investimentos inteligentes e segurança jurídica.

O patrão não é como as mães que aceitam seus filhos como eles
realmente são. Para o patronato é necessário que o trabalhador somente tenha
sua aceitação se ele o operário tem poder de barganha, ou seja, lhe trás
lucros.

A relação de emprego não têm afetividade e nem caridade é
extremamente racional e amarrados a interesses personificados.

Como conciliar lucros necessários aos empresários a um salário
dignificante ao trabalhador. Aumentando a eficiência do labor profissional
do obreiro, ou seja, a produtividade, porém de ambas partes não podemos
esperar dadivas.

É da natureza humana que 80% dos indivíduos investem somente o
necessário, para sobreviver quanto muito para ter uma vida confortável. Os
20%  restante têm instinto com faro insaciável de enriquecer, são
extremamente ambiciosos, acompanhado de sonhos grandiosos que passa a vida
inteira a perseguir seus horizontes ilimitados financeiramente. E, por isso,
são responsáveis por parte significativa do PIB brasileiro.

A concentração de capital em suas mãos são estratégias de evolução,
para toda a sociedade, porém cria empregos e paga a alta carga de tributos
brasileiros. São substanciosas a sua contribuição social tão gigantesca como
suas ambições.

Cabe ao governo não dificultar suas atuações, impedido sua acessão
vertiginosa, pois empresários destas estirpes são instrumentos de evolução
econômica generalizada. São como marés altas levantam todos tamanhos de
barcos.

Na juventude fui contra a correnteza, hoje, na maturidade, quero
aumentar a correnteza, para que mais gente entre nela.

Hoje, concordo que a solução mais sabia é o dinheiro nas mãos da
iniciativa privada e não do estado.

Cabe ao estado, fomentar legalmente e liberalmente as relações
sociais e econômicas e não o intervindo.

O conhecimento com maturidade nos leva a racionalidade e enterrar
as pirotecnias teóricas que tanto nos seduziu na adolescência.

Por isso, acreditamos hoje, no estado mínimo e no individuo como
principal protagonista de sua história terrena.

 

Juarez Alvarenga
Advogado e escritos
Rua Antônio B. Figueiredo, 29
Coqueiral-MG
CEP: 37235-000
Telefone: (35) 99176-9329
E-mail: juarezalvarengacru@gmail.com

Foto: coachinginfantojuvenil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *