Artigo Juarez Alvarenga – Como raciocínio

“O IDEAL DEVE, COMO A ARVORE, TER SUAS RAIZES NA TERRA.”  ARTHUR GRAF

Percebemos que o mundo agora começa um novo ciclo. Torço para que o Brasil seja vanguarda da história mundial.

Penso que tanto o rico como o pobre faz por merecer está na posição que se encontra. O rico sempre acredita que pode ganhar mais dinheiro e o pobre acredita que nunca poderá sair da pobreza.

Para o pobre aconselho que ele seja o principal protagonista de sua história. Ele mesmo vai sair da pobreza, ninguém vai tira-los. Cabe o governo facilitar, mas o pobre andar gradativamente.

O pobre não depende só do capital do rico, depende também de sua liderança. Nada funciona dentro do anarquismo. Uma empresa bem liderada é sucesso para todo mundo. Por isso torço para que o ITAU BANCOS ser cada vez mais bem sucedido para absorver nos seus quadros esta nova demanda de jovens pobres, inteligentes e esforçados.

Sou da opinião que o dinheiro deve ficar nas mãos da iniciativa privada e não do governo. Mais para isto tem que diminuir os tributos. O problema é discutir o momento de fazer isto, pois o Brasil não tem infraestrutura desejada que dificulte a diminuição de tributos.

Então temos que privilegiar as prioridades. Construir infraestrutura primeira ou crescer velozmente deixando para frente transferir o dinheiro para iniciativa privada.

Precisamos de um choque de capitalismo, porém como foco nas bases. Fazer o pobre se não tem o mesmo dinheiro do rico, porém sua filosofia. QUE A EVOLUÇÃO HUMANA DEVE SER ILIMITADA. Com está filosofia plutocrática as bases com eu ainda vivo chegará a patamares elogiáveis.

Na vida gratuitamente só os espermatozoide do meu pai com o ovulo de minha mãe. Tudo tem um preço que os pobres estejam como o rico disposto a pagar este preço.

 

JUAREZ  ALVARENGA
Advogado e escritor
Rua Antônio B. Figueiredo, 29
Coqueiral-MG
CEP: 37235-000
Telefone: (35)  99176-9329
E-mail: juarezalvarengacru@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *