Artigo de Juarez Alvarenga – Economia pós-crise

A economia é um mosaico racional construído dentro de contexto histórico.

Suas armas são limitadas e proporcionais.

Variáveis restritas condicionam o jogo econômico. Sua funcionalidade é para evitar a desorganização, porém é de pouca validade quando se trata de distribuição de rendas entre a população.

As regras econômicas somente tem validade, quando se submete aos fatos e esses  nos mostram hierarquia de classes e talentos humanos diferenciais.

Como a ciência econômica não pode mudar o homem e nem dar peculiaridades e atributos ao indivíduo, cabe ao homem mudar de comportamento.

A evolução consistente da humanidade não deriva de dádivas estatais, porém de progresso individual, construindo sua história dentro do próprio cotidiano.

Percebemos que o limite humano só é exercido, por setores ínfimo da sociedade como os generais.

Se todos conscientizarem que devemos atingir nossos limites diariamente teremos uma evolução substancial.

Se a economia é limitada e seus axiomas são de potencial modesto, temos de outro lado, o homem com potencial adormecido.

Após esta crise do coronavírus, devemos pensar num novo homem se não temos uma nova economia.

Todo o exercito no seu limite, e, não apenas os generais independente de patentes ergueremos um exercito de alto nível, e quem sabe algum dia, começar a hierarquia,  tendo como base os sargentos eliminando soldados e cabos.

É um projeto para uma geração começar as bases com classe média baixa com fluxos significativos de indivíduos para classe média.

Isto só é possível com uma nova mentalidade do homem, pois os instrumentos macroeconômico são ineficientes.

Um homem consciente de seu potencial, em busca de seus limites diários, iremos construir uma sociedade extremamente dinâmica e evolutiva.

Que a crise do coronavírus modifique o homem por dentro. Construindo uma nova realidade mensurável, pela transmutação do negativismo pelo positivismo.

Só com o jogo proporcionado pelo axioma econômico não chegaremos onde podemos.

Nosso potencial são diferenciados, porém atingir nossos limites é um dever singular com nossa consciência.

Até aqui, 90% da população, está aquém de seus limites. Já pensou no potencial econômico se tudo isso mudar.

Primeiro a conscientização, segundo a ação e terceiro a consagração individual sobre os remédios estatais.

Cada indivíduo ser autossuficiente, acho que não é sonho, e, sim um projeto, que cabe a minha geração proporcionar com todos nos seus limites.

Juarez Alvarenga
Advogado e escritor
Rua Antônio B. Figueiredo, 29
Coqueiral-MG
CEP: 37235-000
Telefone: (35) 99176-9329
E-mail: juarezalvarengacru@gmail.com

Foto Destaque: Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *