Servidores de pronto atendimento entram em greve em Pouso Alegre

Servidores do pronto atendimento do Bairro São João, em Pouso Alegre, entraram em greve nesta terça-feira (04). Na unidade de saúde apenas os serviços de urgência e emergência estão mantidos. Desde o dia 23 de julho, a categoria reivindica a volta do pagamento de horas extras, suspenso pela prefeitura um dia antes para todos funcionários da secretaria de Saúde. Os servidores também cobram melhorias nas condições de trabalho.

No dia 15 de julho, o prefeito Agnaldo Perugini (PT) assinou um decreto suspendendo o pagamento de horas extras e determinando o parcelamento dos valores devidos até a data. A medida entrou em vigor no dia 22 de julho, com a redução no horário de atendimento do posto do Bairro São Geraldo. O expediente três horas menor provocou uma série de manifestações dos funcionários da unidade e a adesão dos servidores no Bairro São João.

No dia 31 de julho, a Prefeitura de Pouso Alegre informou que medicamentos estavam em fase de compra e que o horário de atendimento no Bairro São Geraldo retornaria pra o período de 7h as 22h. No entanto, para servidores do Bairro São João, a proposta foi insuficiente.

Os funcionários informaram que a secretaria de Saúde declarou que não pretende mais negociar com a categoria. Cerca de 20 funcionários aderiram ao movimento. Pela manhã, Perugini lamentou a decisão tomada pelo segmento e acredita que a greve tenha objetivos políticos.

“Nós temos que distinguir reivindicações justas dos trabalhadores de movimentos de oposição político-partidária. Isso não cabe em nenhum momento e prejudica a cidade. É uma postura que desqualifica o grande trabalho que os bons servidores da Saúde fazem”, disse. “Nosso trabalho com os servidores públicos é um dos melhores do Brasil. Temos um aumento real de salário de 12%. Alguns ajustes temos que fazer. O mundo inteiro está fazendo. Não vejo nenhum motivo para que esse movimento aconteça”, declarou.

Os grevistas negaram que a paralisação dos trabalhos tenha objetivos políticos.Segundo hospital, pronto-socorro está sobrecarregado com demanda de pronto atendimentos.

greve_interna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *