Rodovias da região devem ser privatizadas em 2020, diz Zema

Na última sexta-feira (31), durante o lançamento do novo programa de concessões de rodovias em Minas Gerais, o governador Romeu Zema divulgou a informação que rodovias da região devem ser privatizadas no próximo ano.

De início o trecho da BR 146, entre Poços de Caldas e Andradas, que compreende o lote Pouso Alegre-Itajubá, abrangendo 423,6 quilômetros de extensão, e toda BR 459 entre Poços de Caldas e Lorena no Estado de São Paulo, serão privatizados.

Pelo edital lançado em 2017, estava prevista a instalação de 7 praças de pedágio. Sendo uma entre Poços e Andradas, na altura do Km 544,8, próximo ao Clube da Uva.

Outros três na BR 459, entre Poços de Caldas e Caldas no km 24,7 próximo a Gruta de Caldas, no km 77,3 em Congonhal e no km 143,3 entre Santa Rita do Sapucaí e Itajubá. E mais 2 na MG 290 entre Pouso Alegre e Jacutinga e 1 na MG 459 em Monte Sião. Na época foram realizadas 4 audiências públicas na região para apresentar o projeto.

Porém o número exato de pedágios e o valor a ser cobrado ainda não foram definidos. O atual governo vai usar o projeto anterior com base para estudos de viabilidade para o lançamento de um novo edital.

Já o trecho da BR 146 entre Poços de Caldas a Muzambinho faz parte do lote Varginha-Furnas com 434,5 quilômetros de extensão. Porém para este trecho ainda não há previsão de quando será privatizado, pois ainda será necessária a realização de uma audiência pública com a população de municípios que são cortados pelo trecho da rodovia.

De acordo com o Governo de Minas, a expectativa é atrair investimentos da ordem de R$ 7 bilhões em sete lotes de rodovias estaduais, além de gerar mais de 9,5 mil empregos, entre diretos e indiretos, impulsionando o desenvolvimento regional no estado.

De início o trecho da BR 146 entre Poços de Caldas e Andradas, que compreende o lote Pouso Alegre-Itajubá, abrangendo 423,6 quilômetros de extensão, e toda BR 459 entre Poços de Caldas e Lorena no Estado de São Paulo, serão privatizados.

Pelo edital lançado em 2017, ao todo serão 7 praças de pedágio. Sendo uma entre Poços e Andradas, na altura do Km 544,8, próximo ao Clube da Uva.

Outros 3 na BR 459, entre Poços de Caldas e Caldas no km 24,7 próximo a Gruta de Caldas, no km 77,3 em Congonhal e no km 143,3 entre Santa Rita do Sapucaí e Itajubá. E mais 2 na MG 290 entre Pouso Alegre e Jacutinga e 1 na MG 459 em Monte Sião. Na época foram realizadas 4 audiências públicas na região para apresentar o projeto.

Já o trecho da BR 146 entre Poços de Caldas a Muzambinho faz parte do lote Varginha-Furnas com 434,5 quilômetros de extensão. Porém este trecho ainda não há previsão de quando será privatizado, pois ainda será necessária a realização de uma audiência pública com a população de municípios que são cortados pelo trecho da rodovia.

De acordo com o Governo de Minas, a expectativa é atrair investimentos da ordem de R$ 7 bilhões em sete lotes de rodovias estaduais, além de gerar mais de 9,5 mil empregos, entre diretos e indiretos, impulsionando o desenvolvimento regional no estado.

Com 2,5 mil quilômetros de extensão, o pacote envolve concessões que vão durar de 25 a 30 anos. Serão diretamente beneficiados mais de 100 municípios, que representam cerca de 30% do PIB de Minas Gerais.

Durante o lançamento foram apresentados os sete lotes alvos desta primeira etapa do programa, que inclui cidades históricas e com grande fluxo de turistas. De acordo com subsecretário de Regulação de Transportes, Diogo Prosdocimi, a perspectiva é que o lançamento dos lotes seja feita ao longo do atual governo, começando já no final deste ano. A meta é que se tenha um edital por trimestre a medida que sejam concluídos os estudos.

Já no terceiro trimestre deste ano, está prevista a retomada da licitação do lote composto pela MG-424 – entre a MG-010 e a entrada de Sete Lagoas, com 51 quilômetros de extensão. A licitação do trecho chegou a ser lançada em 2018, mas foi suspensa ainda no governo anterior. A requalificação da MG-424 é uma forma de atrair novos investimentos para diversos municípios da área central do Estado, além de possibilitar acesso mais rápido ao Aeroporto de Confins. Dentre outras intervenções, a licitação contemplará a construção dos contornos de Matozinhos e Prudente de Morais, cidades severamente afetadas pelo volume de carretas e veículos pesados que trafegam na região.

Ainda em 2019, no último trimestre, haverá o lançamento de edital do lote Triângulo Mineiro, que compreenderá rodovias das cidades de Araxá, Uberlândia e Uberaba (BR-452, BR-462, MG-190, LMG-798), em um total de 488,5 quilômetros de extensão.

Contemplam o programa, a partir do próximo ano, os lotes de Pouso Alegre-Itajubá (423,6 quilômetros de extensão), Varginha-Furnas (434,5 quilômetros), São João del-Rei (376,7 quilômetros), Itapecerica-Lagoa da Prata (496,9 quilômetros) e Ouro Preto (242,4 quilômetros).

Para o lançamento do programa, a Secretaria de Infra Estrutura e Mobilidade revisitou dados de Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMIs) realizados em 2008 e em 2015, para se certificar de que os trechos agora contemplados são sustentáveis. Foram, ainda, identificadas as extensões de cada lote e as principais intervenções que eles deveriam conter. Assim, passarão agora por atualizações de dados como: volume de tráfego, nível de investimento e outorgas previstas, que são estimativos.

Fonte: pocoscom.com / Foto: Ilustrativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *