Produtos de festa junina têm alta de até 11,8% em mercados de Poços

Uma pesquisa do Procon de Poços de Caldas, aponta que a festa junina desse ano será mais cara. Vinte dos 24 produtos analisados estão mais caros e alguns deles tiveram alta de até 11,8%

Segundo o Procon, em 2015, a cesta de produtos juninos saía por R$ 108,94. Neste ano, para comprar os mesmos itens, o valor é de R$ 121,80, conforme a pesquisa feita em 10 supermercados da cidade. A lista inclui produtos como amendoim cru, canjica amarela e pé de moleque.

A canjica de milho branca subiu mais de 8%. O pé de moleque, 29% e o amendoim cru subiu 64%, passando de R$ 7,03 o pacote de meio quilo para R$ 13 em um supermercado.

“No caso de alguns produtos, a produção ficou prejudicada por causa de intempéries, em razão disso, essa alta”, comentou a coordenadora do Procon, Rita de Cássia Raimundo.

Um hotel da cidade tenta negociar com os produtores, para conseguir economizar um pouco, já que todos os sábados realiza festas juninas com fogueira, casamento caipira e muitos doces. “Nós tentamos pegar direto com os produtos, fechar um pacote e garantir o arraiá”, disse Fernando Lima Filho.

Ainda de acordo com o Procon da cidade, o índice de reajuste só não foi maior, porque quatro produtos ficaram mais barato, como é o caso do gengibre, que caiu de quase R$ 15 o quilo, para R$ 8,62.

Produtos de festa junina têm alta de até 11,8% em mercados de Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV)
Produtos de festa junina têm alta de até 11,8% em mercados de Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV)

Para atrair mais clientes, os supermercados apostam em novas estratégias. “Nós estamos negociando direto com os fornecedores, para repassar com valores não tão altos aos consumidores e  fazermos grandes ofertas”, destacou o gerente Elias Ferreira da Silva.

Em uma loja de artigos para festa, os enfeites não tiveram aumento porque a fabricação é própria, mas os doces vieram com reajuste. Mesmo assim, a aposta é de crescimento nas vendas. “Nossa perspectiva é de um aumento de 70% nas vendas”, disse o subgerente Jean Carlos Gonçalves.

Já a professora Marlene Ramos Martins tenta driblar a alta de olho nas promoções. Ela comprou os vestidos de festa junina para as netas e disse que vai comprar os doces. “Tenho que levar, né. Vai apertando daqui, apertando dali, mas tem que fazer”, contou.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *