Prefeito cancela reajuste de salários aprovados em Poços de Caldas

O prefeito de Poços de Caldas, Sérgio Azevedo (PSDB), anunciou que cancelou o aumento de 10,67% nos salários dos cargos de prefeito, vice e secretários, que havia sido aprovado no ano passado. Com esse aumento, o salário do prefeito chegaria a quase R$ 29 mil. Agora, ficará em pouco mais de R$ 26 mil.

Além de cortar o orçamento das secretarias municipais pela metade no início da semana, o prefeito também anunciou revisões de contratos e cortes de funcionários comissionados. Segundo Azevedo, é preciso ajustar os gastos para que a cidade não feche o ano no vermelho.

O prefeito ainda não divulga valores, mas diz que a situação financeira da prefeitura é grave. Por isso, tomou a decisão de reduzir pela metade os orçamentos das secretarias.

“Nossa preocupação é que a prefeitura possa sempre honrar com seus compromissos e pra isso nós precisamos ter um planejamento em cima do que realmente nós vamos ter disponível. Esse contingenciamento nada mais é do que isso, direcionar a cada secretaria um dinheiro que a gente tem certeza que vai ter”, diz o prefeito.

Prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) anuncia corte de gastos em Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV)
Prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) anuncia corte de gastos em Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV)

Para conseguir a economia esperada, o número de funcionários comissionados . Segundo o prefeito, também haverá remanejamento de dinheiro.

“O secretário de Fazenda vai sentar com cada secretário e mês a mês vai ser revisto, pode ser que algum mês tenha que aumentar alguma cota, quem não gastou sua cota inteira possa ter essa parte utilizada por uma secretaria que necessitou mais”, diz o prefeito.

Na Secretaria de Promoção Social, por exemplo, que faz pelo menos 600 acompanhamentos, não houveram demissões, mas foi preciso fazer uma reestruturação nos serviços.

“Nós vamos potencializar as instituições que nós temos, que são parceiras, que conhecem a demanda de suas regiões, têm um vínculo com essas regiões, nós vamos potencializar esses serviços”, diz a secretária de Promoção Social, Luzia Teixeira Martins.

A redução de gastos já significa mudanças nos órgãos que oferecem atendimento ao público. É o caso do serviço de proteção ao consumidor, o Procon. O horário, que antes começava às 9h, agora passou para 11h e termina às 16h. O objetivo é economizar energia e reunir todos os funcionários no mesmo horário de trabalho. A assessoria garante que os 800 atendimentos mensais não serão comprometidos.

Fonte: G1 Sul de Minas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *