Postos de saúde da região distribuirão quase um milhão de preservativos gratuitos

Segundo informações da Secretaria de Estado da Saúde, 872.720 preservativos serão distribuídos gratuitamente em todo o Sul de Minas. Objetivo é que as pessoas curtam o Carnaval com segurança e livre de doenças sexualmente transmissíveis.

Os preservativos estarão disponíveis nos postos de saúde e serão distribuídos através de campanhas específicas em cada cidade.

Na região, são quatro gerências regionais de saúde. Varginha atende 51 municípios e distribuirá 249.984 mil unidades; Pouso Alegre atende 53 municípios e distribuirá 405.504 preservativos; Passos atende 24 municípios e distribuirá 137.232 unidades; Alfenas atende 26 municípios e distribuirá 80 mil preservativos.

Então, previna-se

Inspirada nos blocos carnavalescos de Belo Horizonte, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) lançou um conjunto de ações nas redes sociais e aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, para incentivar o uso do preservativo no período do carnaval. A campanha pretende chamar a atenção dos participantes de todos os foliões, sem prejuízo ao público do interior do Estado.

“Então, previna-se” é o slogan, que faz referência a um dos mais populares blocos da capital, o “Então, brilha”. A mensagem sobre a importância da prevenção contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) está claramente presente na identidade visual dos materiais e contará com o suporte dos textos complementares que acompanham os posts.

A campanha tem como público principal a população jovem, que apresenta significativo aumento no número de casos de infecções transmitidas por relações sexuais. Somente em 2018, do total de 4.788 casos registrados de HIV/Aids em Minas Gerais, a maior parte se concentrou na faixa etária de 20 a 49 anos, sendo registradas 3.875 notificações nesse grupo populacional.

Essa predominância está ligada a diversos fatores, entre eles a baixa idade das primeiras relações sexuais, a variabilidade de parceiros, a falta de prevenção e o uso de drogas lícitas e ilícitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *