Polícia investiga ‘sumiço’ de página virtual de São Sebastião do Paraíso

paginasspA Polícia Civil investiga o ‘sumiço’ de uma página de São Sebastião do Paraíso, em uma rede social. O grupo virtual, com cerca de 15 mil participantes, discutia os problemas na cidade e repentinamente desapareceu. Quem fazia parte do grupo tenta “desvendar” o mistério e a polícia já abriu inquérito para investigar o que pode ser o primeiro crime cibernético do município.

A página era administrada pelo professor Marcelo Morais. Com o objetivo de discutir os problemas da cidade e de trocar informações com a população, o grupo chamado “E o espaço é todo seu” tinha mais de 15 mil membros.

“O grupo tomou uma proporção muito grande de as pessoas começarem a ter voz ativa dentro da cidade, e não só na cidade, mas na região. As pessoas cobrando as autoridades, cobrando direitos que têm”, conta Morais.

A dona de casa Josiane Raimundini participava das discussões no grupo que foi excluído. Quando percebeu que a página não existia mais, entrou em contato com o administrador. “[Eu tinha o hábito de entrar] todos os dias”, completa.

A polícia já abriu o inquérito para investigar o caso, e segundo o delegado Carlos Brasil, mesmo que a página tenha sido excluída por um perfil falso, será possível chegar ao autor do crime que responderá também por falsa identidade.

“A partir de agora a vítima será ouvida, outras testemunhas também, além de ser solicitado através de autorização judicial para enviar ofício à rede social para dar andamento ao caso”, explica o delegado.

Entre os crimes que podem ser cometidos em perfis nas redes sociais, o delegado destaca os de injúria, calúnia e difamação, todos punidos em lei. “Hoje já temos tecnologia para apurar esses crimes cibernéticos, então a pessoa acha que vai ficar impune, mas não irá, responderá pelo delito cometido”, completa Brasil.

Para reunir os membros do grupo, foi criada uma nova página que, em dois dias, recebeu mais de 20 mil pessoas. Agora, Morais reforçou a segurança dos locais onde costuma entrar na internet e da própria rede social.

“Os cuidados agora é de geradores de código, alguma segurança de ficar mudando as senhas, fazendo varredura com antivírus e tomando cuidado pra que não abra nenhum link que possa fazer com que o grupo caia novamente”, completa Morais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *