Polícia e MP investigam diretor de presídio e agente penitenciário em Andradas

Uma operação conjunta do Ministério Público (MP) e da Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão em Andradas, nesta quinta-feira (30). De acordo com informações do delegado responsável pelo caso, Thiago Moreira, a operação ganhou nome de “Navalha” e tem como objetivo investigar possíveis irregularidades em prestações de contas de verbas públicas no presídio da cidade.

Ainda segundo o delegado, o diretor do presídio, Douglas Fernando Cussolin Pelagaldi, e um agente prisional, que não teve o nome divulgado, são investigados no caso que corre em segredo de Justiça. Segundo o delegado, eles são suspeitos de desvio de dinheiro público, incluindo uma verba do Conselho Nacional de Segurança Pública (Consep) e de mercadorias que pertencem ao Estado.

Diretor do presídio de Andradas (MG), Douglas Fernando Cussolin Pelagaldi, é um dos investigados (Foto: Reprodução EPTV)
Diretor do presídio de Andradas, Douglas Fernando Cussolin Pelagaldi, é um dos investigados (Foto: Reprodução EPTV)

“A investigação trabalha em dois focos. Primeiro é na falsificação de prestação de contas, por parte dos agente públicos responsáveis por receber verbas públicas e verbas do Consep, para destinar para reforma do presídio, para aprimorar o sistema de gestão prisional. Bem como pelo desvio de material de construção e material de escritório que lá se encontravam e que pertencem ao Estado”, disse o delegado do caso, Thiago Moreira.
Com mandados de busca e apreensão, policiais civis foram atrás de provas na residência do diretor e também em uma escola de idiomas, que seria da esposa dele. Os policiais também reuniram documentos no presídio e na casa do agente penitenciário.

“Até o momento, o que nós sabemos é uma estimativa de recurso que eles já receberam via Consep. [Sabemos] que desde 2016, eles já receberam cerca de R$ 130 mil. Então, as investigações visando verificar se de fato houve desvio e qual foi esse valor, se foi desviado efetivamente, ainda está em andamento ”, concluiu o delegado.

Policiais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em Andradas (MG) (Foto: Reprodução EPTV)
Policiais cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em Andradas (Foto: Reprodução EPTV)

Segundo a polícia, o diretor foi autuado por porte ilegal de arma. Ele foi detido e levado para a delegacia da cidade, onde prestou depoimento e, segundo a polícia, pagou fiança de cinco salários mínimos e foi liberado. Os policiais disseram ainda que Palagaldi responderá em liberdade.

O diretor do presídio não foi encontrado para falar sobre o caso. Um escritório de advocacia de Andradas, que está defendendo o diretor do presídio, afirmou, por telefone à equipe da EPTV Sul de Minas, que por enquanto ninguém vai se manifestar sobre o assunto.

Já a assessoria da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) divulgou uma nota oficial informando que está apurando os indícios de práticas criminosas envolvendo os servidores e que não compactua com desvios de conduta de nenhum funcionário. Por telefone, a assessoria do órgão informou ainda que o diretor e o agente penitenciárioficarão afastados até a conclusão do inquérito.

Quem assume provisioriamente o presídio de Andradas é o diretor regional da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), Adriano de Souza Silva.

Confira na íntegra a nota oficial Seap:

A Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), em apuração interna, detectou indícios de prática de crime envolvendo dois servidores do presídio de Andradas, no Sul de Minas. Em face desses indícios e considerando as atribuições típicas da Polícia Civil, coube a essa instituição a investigação que, na data de hoje, resultou no cumprimento de mandado de prisão em desfavor de um dos servidores e afastamento do outro. Um dos servidores é efetivo. E o outro, contratado.

No âmbito administrativo, a Seap está adotando todas as medidas ligadas à correição. A Seap não compactua com desvios de conduta de nenhum de seus servidores.

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *