Ocupação é encerrada em pelo menos 4 escolas da região

O movimento de ocupação contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece um teto para os gastos públicos foi encerrado em pelo menos quatro escolas do Sul de Minas nesta segunda-feira (31). Nos campi do Instituto Federal do Sul de Minas, em Poços de Caldas (MG) e Inconfidentes (MG), e nas escolas estaduais Eduardo Senedese, em Juruaia e Delfim Moreira, em Virgínia, as aulas foram retomadas.

Na Escola Estadual Rui Barbosa, em Campestre, a ocupação segue até à noite desta segunda-feira, de acordo com os membros do grêmio estudantil. No Colégio Municipal Dr. José Vargas de Souza, em Poços de Caldas, as aulas foram retomadas pela manhã, mas um acordo entre os estudantes e a direção definiu que a ocupação continua paralelamente.

Nesta segunda-feira (31), alunos que ocupam a Escola Estadual Edmundo Gouvea Cardilo, em Poços de Caldas, participaram de palestra sobre racismo; estudantes têm organizado atividades nas escolas (Foto: Ocupa Edmundo/Poços de Caldas)
Nesta segunda-feira (31), alunos que ocupam a Escola Estadual Edmundo Gouvea Cardilo, em Poços de Caldas, participaram de palestra sobre racismo; estudantes têm organizado atividades nas escolas (Foto: Ocupa Edmundo/Poços de Caldas)

De acordo com levantamento feito pelo G1 junto a organizações estudantis e direção de instituições de ensino, há ainda outras oito escolas estaduais e quatro campi de instituições de ensino superior ocupadas- Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), em Poços de Caldas, Universidade Federal de Alfenas (UFLA), em Varginha (MG) e Alfenas (MG), e Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Na Unifal, uma reunião na manhã desta segunda-feira decidiu pela suspensão do calendário acadêmico durante o período de ocupação. A instituição enfrenta desde o dia 26 uma greve dos funcionários em cargo técnico.

Escola Estadual David Campista está ocupada há 13 dias, desde 18 de outubro; movimento é questionado na Justiça em Poços de Caldas, MG (Foto: Ocupa David Campista/Poços de Caldas)
Escola Estadual David Campista está ocupada há 13 dias, desde 18 de outubro; movimento é questionado na Justiça em Poços de Caldas (Foto: Ocupa David Campista/Poços de Caldas)

Na Escola Estadual David Campista, a primeira a ter uma ocupação na região, o movimento é questionado na Justiça por pais de alunos, que pediram reintegração de posse. A escola de Poços de Caldas está ocupada por estudantes desde o dia 18 de outubro.

Aprovada pela Câmara dos Deputados, em segundo turno, na quarta-feira (26), a PEC 241 agora tramita no Senado como PEC 55  e é tida como prioridade pelo governo do presidente Michel Temer para reequilibrar as contas públicas nos próximos 20 anos.

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *