Moradores reclamam do valor da taxa de coleta de lixo em Paraisópolis

Moradores de Paraisópolis, estão assustados com o valor da taxa da coleta de lixo da cidade. Em alguns casos, a cobrança é maior do que a do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), que serve como base para o cálculo do serviço. Além disso, muitos moradores alegam que o serviço é mal executado e que o caminhão derruba restos de lixo pelas ruas do município.

A polêmica começou em 2014, quando o prefeito da cidade encaminhou para a Câmara de Vereadores um projeto de reajuste tributário do IPTU, que serve como cálculo de cobrança para o lixo. Mas quando os carnês chegaram, no início do segundo semestre de 2015, a diferença no valor cobrado virou motivo de reclamação. De acordo com o prefeito, Wagner Ribeiro de Barros, a diferença acentuada é por conta da defasagem do imposto, que não era atualizado desde 1994.

“O IPTU ficou muitos anos sem reajuste e por todo esse tempo parado acabou afetando a taxa de lixo. Como é corrigida anualmente a taxa acabou realçando mais que o imposto”, explica o prefeito.

O projeto do executivo aprovou aumento de 65% da alíquota do IPTU, que passou de 0,25% para 0,33%. A taxa de coleta é de 1% da metragem do imóvel, multiplicada pela unidade fiscal do município, que hoje está fixada em R$ 109,00. Entretanto o serviço prestado não vem agradando, e muitos moradores alegam que valor cobrado é abusivo.

“A coleta de lixo continua do mesmo jeito e não dá pra entender o valor tão alto”, conta o taxista Maurício Fonseca Machado.

“Pelo preço que a prefeitura está cobrando pelo serviço, tinha que ter caminhão apropriado para a coleta. Aqui o lixo é coletado e misturado, nem coleta seletiva temos”, alega o taxista Ademílson Alves da Silva.

O prefeito diz que 25% dos moradores de Paraisópolis tem isenção destas taxas e não existe há como reduzir o imposto. “Não há nenhuma possibilidade de redução, porque a própria lei fiscal não me permite isso”, finaliza o chefe do executivo.

A situação não agrada “Seo” Antônio, morador do Bairro Jardim Felicidade. Ele tem um imóvel em São José dos Campos, interior de São Paulo, onde é cobrado o valor de R$ 14,75 pela taxa anual da coleta. Enquanto isso em Paraisópolis, a cobrança é de R$ 185,32.

“É um absurdo, o valor que eu pago aqui, dá pra pagar 12 anos da taxa em São José dos Campos”, diz o aposentado Antônio Claret Machado.

lixo_interna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *